A+ / A-

​Há um “genocídio” silencioso a acontecer na Amazónia

19 abr, 2016 - 18:50

Madeireiros ilegais, rancheiros e mineiros não olham a meios para expulsar as tribos das suas terras.
A+ / A-

As tribos indígenas da Amazónia brasileira estão em risco de ser “aniquiladas” por madeireiros ilegais, rancheiros e mineiros que querem as suas terras, denuncia a Survival International. Um verdadeiro "genocídio", classifica a organização que defende os direitos humanos das populações indígenas e tribos perdidas.

Existem no Brasil mais de uma centena de tribos com pouco ou nenhum contacto com o mundo exterior. O número é calculado pelo Governo brasileiro, com base em imagens de satélite e entrevistas a outros grupos indígenas da região.

O direito destas tribos à terra está consagrado na Constituição brasileira, mas a lei fundamental não está a ser cumprida.

“Os povos indígenas querem proteger a terra, mas não têm poder de fogo para se defender dos madeireiros ilegais ou capangas armados contratados pelos rancheiros”, alerta Fiona Watson, activista da Survival International, citada pela Reuters.

“Para as tribos isoladas, a aniquilação significa a destruição da sua terra e forma de vida. O genocídio das tribos isoladas está em curso”, afirma a activista.

A Survival International teme que a actual situação de instabilidade política no Brasil, com o processo de destituição da Presidente Dilma Rousseff, possa ser aproveitada pelos empresários sem escrúpulos e agravar ainda mais o problema dos indígenas.

Na contagem decrescente para os Jogos Olímpicos deste Verão no Rio de Janeiro, os activistas exigem que o Governo aplique a Constituição e proteja os direitos dos indígenas à terra.

Os índios representam menos de 1% da população brasileira, de mais de 200 milhões de pessoas, mas são desproporcionalmente mais atingidos pela pobreza e malnutrição, indica a ONU

De acordo com a Survival International, a situação é especialmente difícil para tribos isoladas, como os Kawahiva, que estão em vias de extinção. Sem resistências naturais a doenças como a gripe ou o sarampo, são particularmente vulneráveis a contactos com o mundo exterior.

[notícia corrigida às 00h40 - Mato Grosso do Sul fica na região Centro-Oeste do Brasil]

No estado do Mato Grosso do Sul, na região Centro-Oeste do Brasil, os líderes da tribo Guarani são perseguidos por milícias armadas contratadas por rancheiros que querem ficar com as suas terras, denuncia Fiona Watson.

As comunidades indígenas são muitas vezes obrigadas a sair dos seus territórios ancestrais e deslocadas para junto de auto-estradas ou reservas sobrelotadas, afirma a activista.

Desde 2005, pelo menos 53 crianças Guarani morreram de fome, apesar de viverem junto a grandes plantações, refere a organização de defesa dos direitos humanos.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sandra
    24 abr, 2016 São Paulo 12:47
    Sou 100% a favor do povo indígenas que consegue viver em simbiose com a mãe natureza Nós branco só destruímos tudo a nossa volta.
  • Margarida de Sousa S
    23 abr, 2016 Portugal 10:46
    Quando vamos acabar com estas barbáries, quando é que o homem começa a pensar que é finito e não leva riqueza nenhuma,quando morrer, e faz a diferença pelo bem e pelo mal. Efetivamente o Homem pensa que é evoluído mas é mais atrasado que a população indígena, esta respeita o outro.
  • Carlos A.Castro
    21 abr, 2016 ´ 16:12
    É lamentável que em pleno século XXi ainda existam pessoas sem civismo.O Governo Brasileiro que eu saiba tinha um organismo chamado FUNAI com incumbência de proteger as populações indigenas.Será que desapareceu? Os perfeitos dos Municípios dessas regiões da Amazónia têm poderes para parar essa situação de um momento para o outro .É só quererem. Se não o fazem a responsabilidade é toda deles. Há que denunciar a situação e fazer chegar essas informações 'as Entidades Responsáveis e não é nada dificil. Compreendo a dimensão da grandeza do Brasil,mas hoje não há distâncias.Há que abordar os Governadores de cada Estado e comunicar-lhe esdsa situação. Eu não sei se a Renascensa tem representantes missiponários nessas regioões. Os missionários são as pessoas mais capacitadas para falar com os Indios Brasileiros, nas várias Regio~es do Brasil.É prreciso muita atenção porque podem ser ameaçados por terceiros e não só.
  • Rodolfo
    20 abr, 2016 porto 15:56
    Nuno Miguel, se eles são pilantras por quererem dinheiro, então, não serás um também?Ou trabalhas de graça?!
  • Francisco
    20 abr, 2016 Mira 08:02
    Bom dia. Como o próprio nome indica, "Rio Grande do Sul" fica no sul do Brasil. Faz fronteira com o Uruguai e a Argentina. Saudações
  • Nuno Miguel
    20 abr, 2016 Belem 04:39
    Outra coisa.... conheço bem essa raça desgraçada de madeireiros... já prestei serviço para essa gente...Sou Português com muito orgulho mas não gosto de ver ou ouvir coisas que não tem nada a ver. Os índios também são pilantras, só querem dinheiro! Os únicos que não querem são aqueles que não conhecem os brancos!! e ´só tem uma ou duas mais...ninguém sabe.
  • Nuno Miguel
    20 abr, 2016 Belem 04:20
    Ohh gente, eu estou aqui na Amazónia...que é que é isso... não tem nada disso... Os índios ninguém toca... eles que querem é dinheiro e vendem as arvores para ganhar dinheiro... vendem arvores centenárias por 100 reais cada... em 2010 era 50 reais cada uma, agora é 100 para os madeireiros! Não são inocentes não... isso é história... eles são pilantras... não pode prender eles então... vendem... e não dá nada... As madeireiras compram direto dos índios... Meu Deus do céu... como vocês são iludidos... Não tem genocídio nenhum... Se matar um cidadão comum nem dá nada mas se matar um índio... `tá Fxxxxx!!!!!!!!
  • Martim
    20 abr, 2016 Lisboa 00:36
    É um escândalo o que se passa na Amazónia. E ainda chamam selvagens aos índios!!!. Selvagens são esses madeireiros ilegais e políticos corruptos!
  • celso moreira
    20 abr, 2016 viana do castelo 00:33
    Certas pedras são património mundial,no entanto, povos ,com valores que em nada prejudicam nosso planeta, são encurralados ou em aderir ao nosso modo destrutivo ou a serem destruídos. O roubo e a matança disfarçados por detrás de interesses capitalistas poderá um dia ser considerado como um crime.Quando compramos portas ou mobília feitas de certas madeiras contribuímos para alimentar esses interesses e não falo dos telefones de ultima geração que escravizam crianças ou pessoas em muitas partes do globo.A palavra "crime" pode ser inadequada,mas onde um ser humano é explorado ou morto para lhe tirar o que a partida é dele...É a única que encontro...Mas uma coisa é certa,é mais fácil proteger pedras que pessoas e mais fácil estar aqui a escrever este comentário.Um dia virá em que nossos filhos ou netos serão mais sensatos que nos . Felizmente não estarei aqui para ouvir as suas perguntas acerca dos nossos actos ou indiferenças.
  • FELIPE
    20 abr, 2016 BRASIL 00:32
    Sou brasileiro e por muita coincidência acabei caindo neste site português. Quero deixar bem evidente que sou contra a este tipo de ato desumano praticado por criminosos que ainda habitam meu país. No entanto, é engraçado ler comentários de usuários portugueses quem dizem: "É certo que Brasil é uma país muito grande, mas que não é lá grande país, também é verdade! É sim senhor." - isso só pode ser piada, a extinção indígena aqui iniciou-se desde a colonização lusa. Vocês também mataram muitos índios, fazem parte desse processo, lembre-se muito bem disso... É o sujo falando do mal lavado.