A+ / A-

Europa Nostra 2016 destaca dois locais portugueses

13 abr, 2016 - 15:10 • Olímpia Mairos , Aura Miguel

O prémio anual foi atribuído na semana passada e dois locais portugueses ficaram entre os distinguidos. Fomos conhecê-los.
A+ / A-
Trabalho Sem Fronteiras (13/04/2016)
Trabalho Sem Fronteiras (13/04/2016)

Esta semana falamos do Prémio da União Europeia para o Património Cultural/Prémio Europa Nostra 2016 atribuído a 16 países. Dois monumentos portugueses foram distinguidos e estão entre os 28 premiados. A reabilitação da Catedral e Museu Diocesano de Santarém feita entre 2012 e 2014, e ainda o projecto do Planalto da Mourela, no concelho de Montalegre.

É pelo norte que começamos, com uma visita a este espaço em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês. Na reportagem de Olímpia Mairos ficamos a saber que este centro tem uma vertente turística e outra pedagógica. Preserva por exemplo, práticas agrárias tradicionais. Um projecto de desenvolvimento sustentável.

O projecto “A conservação dos urzais e o desenvolvimento sustentável no planalto da Mourela”, no Parque Nacional da Peneda Gerês (PNPG), foi galardoado com o Prémio da União Europeia para o Património Cultural/Prémios Europa Nostra 2016, na categoria de educação, formação e sensibilização.

A iniciativa, implementada entre 2009 e 2011, conjugou “as práticas tradicionais de maneio dos matos, como o roço de mato, fogo controlado e condução de giestal com o maneio do gado (vezeiras) de forma a manter as áreas de mato limpas, incentivar a criação de pequenos ruminantes (principalmente caprinos) e, consequentemente, diminuir o risco de incêndios florestais”, refere à Renascença Cristina Ferreiro, coordenadora do projecto e responsável Associação de Desenvolvimento das Regiões do Parque Nacional da Peneda-Gerês (ADERE).

No âmbito do projecto, foi transformada uma antiga casa florestal num centro de interpretação, desenvolvido material sobre a utilização dos matos e a importância cultural para estas populações e criados percursos.

Este centro tem uma vertente turística e outra pedagógica. A sua área de intervenção abrange sete baldios do concelho de Montalegre, no distrito de Vila Real, nomeadamente Covelães, Outeiro, Paredes do Rio, Pitões das Júnias, Tourém, Travassos e Sezelhe.

Segundo Lúcia Jorge, presidente da Junta de Freguesia de Pitões das Júnias o projecto conseguiu "mobilizar a população para uma nova forma de gerir a paisagem", realçando que foi feito um melhoramento das pastagens, bem como da forma como se organiza a paisagem deste planalto. E acrescentou, que se mantém essa organização do pastoreio, bem como a limpeza dos terrenos ou o manuseamento do fogo controlado.

A redução de incêndios florestais naquela área na ordem dos 80% a 90% é outra das vantagens deste projecto que pode vir a ser replicado noutras zonas do Parque Nacional da Peneda Gerês ou em outras zonas do país.

A candidatura à União Europeia foi proposta pela Associação de Desenvolvimento das Regiões do Parque Nacional da Peneda-Gerês (ADERE).

De Montalegre para Santarém

A jornalista Aura Miguel visitou a Catedral e Museu Diocesano de Santarém sujeito a uma reabilitação nos últimos anos. Nesta reportagem, o padre Joaquim Ganhão, director do museu e pároco da Sé de Santarém, conduz-nos pelos espaços que agora acolhem mais de duzentas obras restauradas do património de arte sacra da diocese. Algumas delas arrumadas em armazéns.

Eva Raquel Neves é a conservadora deste museu e explica-nos qual é a sua peça preferida. Apesar de a resposta não ser fácil,

Saindo do Museu premiado e, mesmo ao lado, da porta catedral, igualmente premiada, saem alguns fiéis que tinham ido à missa e que se orgulham desta beleza. Também um dos padres que acabou de celebrar, tem várias razões para festejar o que esta beleza significa.

A reabilitação da Catedral e Museu Diocesano de Santarém e o projecto do Planalto da Mourela são para Guilherme d’Oliveira Martins bons exemplos de conservação. Contudo, entrevistado por Maria João Costa, o representante do Europa Nostra em Portugal diz que o país esperava mais prémios.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.