|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Documento do Papa sobre a família apresentado a 8 de Abril

31 mar, 2016 - 11:53 • Filipe d'Avillez

Questões como o acesso aos sacramentos por parte de divorciados recasados pelo civil e o acolhimento a pessoas em uniões homossexuais devem ser abordadas neste documento intitulado “A Alegria do Amor”.

A+ / A-

O documento do Papa Francisco com as conclusões dos dois sínodos sobre a família será apresentado publicamente na sexta-feira, dia 8 de Abril.

A Santa Sé anunciou esta quinta-feira que a exortação apostólica, que se chamará “Amoris Laetitia”, ou “A Alegria do Amor”, será apresentada durante uma conferência de imprensa, em Roma, às 10h30 de Lisboa.

A conferência de imprensa será conduzida pelos cardeais Lorenzo Baldisseri e Christoph Schoenborn, respectivamente secretário do sínodo e arcebispo de Viena. Um casal também estará presente, Francesco e Giuseppina Miano, ambos professores de filosofia.

O Papa Francisco convocou dois sínodos para discutir a família, a crise e os desafios que se abatem sobre ela e o seu papel na nova evangelização. Os sínodos decorreram em Outubro de 2014 e de 2015.

No final os bispos entregaram as suas conclusões e pediram especificamente ao Papa que redigisse um documento final. As conclusões do sínodo têm valor puramente consultivo, ao contrário da exortação apostólica, que deve ser considerado parte do magistério do Papa.

Muitos foram os assuntos discutidos, como por exemplo a preparação para o matrimónio e o acompanhamento de jovens casais e ainda desafios mais localizados, como a poligamia em África ou as uniões de facto, nos países ocidentais. Em termos mediáticos foi a questão do acesso aos sacramentos por parte de pessoas em uniões irregulares, incluindo os divorciados recasados pelo civil, e a atitude da Igreja para com as pessoas em uniões homossexuais, que fez correr mais tinta.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Basto
    03 abr, 2016 Porto 17:00
    Oxalá não seja uma bomba-relógio para a Igreja.