|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Sócrates saberá até 15 de Setembro se será acusado ou não

30 mar, 2016 - 17:13 • Marina Pimentel

Director do DCIAP decidiu fixar este dia como prazo limite necessário para concluir o inquérito da "Operação Marquês".

A+ / A-

A eventual acusação contra José Sócrates terá de estar concluída até 15 de Setembro. O prazo foi fixado esta quarta-feira pelo director do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), Amadeu Guerra.

Uma nota divulgada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) lembra que Amadeu Guerra dera em Novembro três meses ao procurador responsável pela “Operação Marquês” para facultar elementos que lhe permitissem fixar um prazo para a conclusão do inquérito. Após o fim do inquérito, poderá haver arquivamento ou acusação.

Na nota enviada para as redacções, a PGR adianta que se aguarda ainda a resposta a três cartas rogatórias, justificando também o tempo que tem levado a investigação pela “vasta prova a analisar e relacionar”.

A Operação Marquês conta com 12 arguidos, entre os quais José Sócrates, que esteve preso preventivamente no estabelecimento prisional de Évora mais de nove meses.

O ex-primeiro-ministro foi detido a 21 de Novembro de 2014, no aeroporto de Lisboa, indiciado pelos crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para acto ilícito.

Recentemente, o Ministério Público enviou para as autoridades angolanas uma carta rogatória para constituir arguido o empresário luso-angolano Helder Bataglia, por suspeitas de ter havido pagamentos relacionados com a aprovação do empreendimento Vale do Lobo, Algarve, quando José Sócrates era chefe do Governo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • NEM NO BURUNDI
    30 mar, 2016 Palácio da Justiça 22:04
    A MAGISTRATURA TEM O PÉ EM CIMA DA "MINA" E, NÃO PODE SAIR DE CIMA..... SENÃO, ... EXPLODE! A ÚNICA SAÍDA, É ADIAR O PROBLEMA, EMPURRANDO COM A BARRIGA....
  • Leonardo
    30 mar, 2016 MASSAMA 20:12
    O circo do costume, Há um só Juíz em Portugal, que mandou prender um homem com base em indícios, ao fim de quase dois anos e depois de 9 meses preso ainda não foi acusado, Sr. Juíz reflicta bem, isto não se faz, isto não é direito é outra coisa, quem ficasse preso era acusado no mesmo dia e com data de Julgamento marcada, Não com a conivência dos Juízes prende-se primeiro e investiga-se depois, é o que temos, depois há o Correio da Manhã o Jornal oficial da PGR.
  • NL
    30 mar, 2016 Ermesinde 19:15
    Tem de ser até 15 de Setembro. Agora não porque é Páscoa e Páscoa é a paz do senhor. Depois vem o Abril e até o Maio das flores e o Sócrates detesta flores principalmente quando as puserem na sua campa. Depois vem o Junho, Julho e Agosto e os senhores juízes dos Tribunais têm de ir molhar os tomates nas águas quentinhas de países onde, qualquer dia, lhes pedirão asilo político. È verdade ou mentira, senhores Carlos Alexandre e Rosário Teixeira?
  • oscar
    30 mar, 2016 Lisboa 19:09
    A nota da Procuradoria foi enviada aos jornais. Há uma hora atrás o advogadfo do arguido dizia que não tinha sido notificado e que estava a conhecer a decisão, se é que era verdade, pela comunicação social, contrariando toda a ética jurídica e violando a lei. Mais uma vez se percebe que este caso é para ser tratado na praça pública, a justiça é meramente instrumental.
  • luis acacio
    30 mar, 2016 porto 19:08
    O sr. Amadeu Guerra deu 3 meses para que a PGR lhe desse elementos para fixar um prazo para proceder a uma acusação. Eu, que não percebo nada disto, pelo que tenho lido, os prazos estavam mais que ultrapassados para procederem à acusação formal, talvez já ia num ano, agora vai dai, dá mais 6 meses para que o PGR responsável, faça o seu trabalho. è nisto que sou contra. Puseram um homem na cadeia por suspeitas durante um ano, não conseguiram fazer acusação que pudesse ser credivel, lançaram varias vezes o barro à parede a ver se colava, fizeram fugas de informação, libertaram o homem contrariados, nesta data não deviam já ter provas? Quer dizer o PGR dispôs de mais 3 meses, já com os prazos mais que ultrapassados e vai daó um senhor atribui-lhe mais 6 meses e com geitinho ainda lhe vai dar mais alguns. Por favor todos erramos, reconheçam mas é o erro de não poderem acusar, façam o mea culpa, ou acusem com as provas que deviam ter no ato da sua prisão no aeroporto...É uma vergonha. Não se tira a liberdade a uma pessoa sem mais nem menos, isso é prepotência, não é justiça caros senhores. estamos num estado de direito e as leis que são feitas são para os portugueses e magistrados, e juízes também cumprirem
  • Vasco
    30 mar, 2016 Viseu 19:04
    Já agora, bem que podiam manter a investigação até à idade de se reformarem, pelo menos assim tinham emprego garantido!!!
  • Alberto Souto
    30 mar, 2016 aveiro 18:38
    Daqui por uns tempos serão os brasileiros Dilma e Lula. O "lobby" internacional bilderberg tira do caminho todos aqueles que lhe possam fazer mossa!
  • lv
    30 mar, 2016 lisboa 18:36
    Setembro de que anos? Os Jihadistas , procuradeiros e alexandreiros não tem regras nem leis para cumprir. Republica das bananas em que a justiça está entregue aos macacos!
  • csoares
    30 mar, 2016 porto 18:31
    Ha instituições que se regem por corporações muito bem montadas, qual máfia que se encobrem na suas mais manhosas manobras, com o fim de agitarem a opinião publica sempre a favor da manutenção dos seus privilegias e honrarias. Mas de honra nada tem, temos assistido a um vexame dilatório, a um esvaziamento de podridão para os podres serviços informativos, sempre a troco de se desculparem da falta de vergonha e da imensa mediocridade reinante nessas instituições poderosas emaranhadas qual máfia. A par do que temos assistido no brasil, por cá o processo é idêntico não sei quem copiou quem, mas parecemos irmãos em língua e em inqualificável vergonha de manipulação, tudo patrocinado com os dinheiros publicos dinheiros dos contribuintes. Ate ver a corrupção anda á solta livre, circulando abertamente deixando seus mentores no seu canto em sossego, enquanto estas corporações usam o dinheiro do povo e o poder que lhes concederam para atropelar os direitos fundamentais do cidadao. Não há justificação possível para tão ignominioso processo, isto vai ter um fim. Um fim triste par ao homem despojado dos seus direitos, preso na armadilha de anos sem poder ter vida propria, preso a um emaranhado de lamaçal criado por essa corporação, para atropelando todos os direitos mais básicos da constituição, amarrar um homem e castra-lo. Quem nos defende destas corporações??? alguém olhe para este caso e ponha fim a isto caso contrario e a mando desta selvajaria, outros sofrerão.
  • Pinto
    30 mar, 2016 Custoias 18:24
    Inocente não está de certeza, tudo que disseram nem um doido acredita,