O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Lula em carta aberta: “A minha intimidade tem sido violentada”

18 mar, 2016 - 08:22

O Brasil vive momentos de convulsão político-jurídica. Nas últimas horas, o antigo Presidente Lula da Silva foi ministro, deixou de ser e ainda pode voltar a ser.
A+ / A-

Leia também:


O ex-Presidente do Brasil Lula da Silva escreveu, na quinta-feira à noite, uma carta aberta aos brasileiros, na qual diz confiar no Supremo Tribunal Federal e se assume como vítima de actos de violência, contra si e a sua família, que considera injustificáveis.

No documento divulgado pelos órgãos de comunicação social, Lula critica a divulgação de escutas telefónicas e a divulgação de notícias na imprensa antes de a informação ser transmitida aos visados.

Diz, no entanto, esperar que seja feita justiça, tal como ela deve ser praticada num Estado de Direito democrático.

O Brasil vive momentos de convulsão político-jurídica e a última madrugada foi novamente de protestes, desta vez mais tranquilos. Para esta sexta-feira, são esperadas novas manifestações populares.

Nas últimas horas, foi constituída a Comissão Especial da Câmara de Deputados para coordenar o processo que pode levar à destituição da Presidente Dilma Rousseff. Depois de aprovada a comissão, Dilma tem um prazo de dez sessões para apresentar a defesa.

Lula da Silva é um dos protagonistas do caso “Lava Jato”, considerado o maior escândalo de corrupção da história do Brasil.

Na quinta-feira, Lula tomou posse como ministro da Casa Civil da Presidente Dilma Rousseff numa tentativa de escapar ao juiz responsável pelo processo, Sérgio Moro.

Na qualidade de ministro, o antigo Presidente passa a beneficiar de “foro privilegiado”, tendo de responder às acusações, mas perante o Supremo Tribunal Federal.

Mas pouco depois de ter tomado posse, a Justiça brasileira suspendeu a nomeação de Lula da Silva para o cargo. Nas últimas horas, o presidente do Tribunal Regional Federal revogou esta decisão, aceitando as alegações de parcialidade apresentadas pelo representante legal do Governo.

Contudo, Lula ainda não pode exercer as funções de ministro, porque uma juíza do Rio de Janeiro um aceitou outro pedido de anulação da nomeação.

À Renascença, o político e sociólogo brasileiro Paulo Baía afirmou que o Brasil vive um momento de absoluta insegurança jurídica e política. O professor da Universidade do Rio de Janeiro antecipa mesmo possíveis momentos de violência nas manifestações desta sexta-feira, a favor e contra Dilma Rousseff e Lula da Silva.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fernando Magalhães
    18 mar, 2016 Massamá 11:23
    Pobre de mim, que toda a gente me quer mal. É uma injustiça...
  • VELHOTE
    18 mar, 2016 Coimbra 11:01
    Estes lugares deveriam ser ocupados por gente com raízes de honestidade. É verdade, que em todos os tempos, os lideres foram sempre criaturas que se impuseram pela sua força, pela falta de caracter, apoiados por criaturas da sua laia. Quem for ver as origens desta Dilma, não passa de uma cangaceira, que se tem nascido no tempo do Virgulino Ferreira ( O LAMPIÃO) , teria se juntado a este CANGACEIRO, porque o instinto dela , é igualzinho àquele; é uma salteadora, digo é, porque quem assalta uma vez, vai ser eternamente salteadora; assaltou bancos, andou no cangaço. Lula, não sei coisa do seu passado, mas lá diz o velho ditado: Diz-me com quem andas e eu te direi quem és! No Brasil, tal como aqui, não há JUIZ que resista a estas QUADRILHAS, quadrilhas INTERNACIONAIS. Dilma e Lula, mostram bem o seu caracter, a ralé a que pertencem, basta meditar no seu paleio ouvido nas escutas telefónicas! É do mais baixo e sobretudo dito por gente, que o povo julgaria serem de respeito; ( conversas de um chulo, para uma abarrigada).Vergonha! Vergonha, como disse aquele HOMEM na tomada de posse para ministro e que foi apelidado de fascista! Vergonha! No Brasil, tal como em Portugal e não só, o PUDER caiu nas mãos de BANDOS DE LADRÕES e que raramente algum caia na PRISÃO. Aqui, lá tivemos algum tempo o nº. 44, mas creio que por vingança, porque talvez quisesse todo o produto dos roubos para ele. Pergunto: Quando é que o POVO SE LEVANTA?
  • Irvos Okoo
    18 mar, 2016 Alcagoitas 10:54
    Isto não é jornalismo é uma crónica tendenciosa.
  • José
    18 mar, 2016 Guarda 10:34
    Não só a tua mas a de todos os Brasileiros.
  • Alberto
    18 mar, 2016 sao paulo 10:34
    Com esse papel de boa moça , esse pulha espera se safar dos roubos cometidos ao povo ignorante e que depende de um prato de comida para dar votos a essa corja.
  • Luis B.
    18 mar, 2016 Mirandela 10:29
    A privacidade do ex-sindicalista Lula da Silva tem sido violentada, mas ele não violentou a confiança dos brasileiros nas suas demagógicas politicas que não resolveram problemas estruturais de desigualdades sociais, mas aumentaram a conta bancária de uma enorme quantidade de familiares, amigos e familiares dos amigos. Lula e Dilma subiram ao poder na base da contestação, porque é fácil instrumentalizar o povo acenando promessas falsas de igualdade e riqueza, e acima de tudo, criticando despudoradamente as outras opções politicas... Nessa altura, Lula não pensou na violência das suas palavras, mesmo quando disse em 1988 que "um pobre quando rouba vai para a prisão, um rico quando rouba vai para ministro". Esse Lula comunista (sim, comunista e não fascista como li aqui num comentário) perdeu a memória... Tem tanto dinheiro nas contas dos familiares que esqueceu de onde veio... As semelhanças com Sócrates não são ao calha. A esquerda quando falha responsabiliza sempre os outros e não a fragilidade da sua ideologia... O actual governo português apoiado pela extrema esquerda já ensaiou esta táctica: se houver austeridade a culpa é de Bruxelas, mas não é deles por terem prometido o que não podiam prometer, mas que serviu na perfeição para ocuparem tachos politicos mais bem remunerados e mais importantes do que os anónimos empregos que tinham cá fora, onde tinham de trabalhar e apresentar resultados... Esquerda e parasitismo não andam muito longe uns dos outros...
  • Zé Povinho
    18 mar, 2016 Lisboa 09:50
    A corrupção, pela sua ganância e egoísmo, destrói a sociedade e o país. Isso vê-se em Portugal e muito mais, no Brasil, que está instalada a tensão, para uma guerra civil. O Povo Brasileiro está cheio de assistir a tanta injustiça, tanto roubo, tanto fachista!
  • verdade
    18 mar, 2016 aveiro 09:16
    Este sr. está a fazer-se de vítima quando são os Brasileiros que foram espoliados e vivem mal. Até lhe criaram o ministério da corrupção para fugir à Justiça. è preciso ter lata. O seu descaramento é tal que ainda é capaz de dizer que a culpa è dos Portugueses. Julgar os delinquentes primários que se governam em nome do Povo é um imperativo Internacional.
  • Antonio
    18 mar, 2016 Cascais 09:07
    E o povo brasileiro responde: "...também os nossos bolsos foram violentados, ou pensas que andamos a dormir?..."
  • oliveira
    18 mar, 2016 sintra 09:07
    Onde é que eu já ouvi isto? Ah! já sei. Foi em Évora. Andam a copiar nos testes de aptidão a político.