O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Tomada de posse de Marcelo chega ao Porto. “Porque Portugal é mais do que Lisboa”

11 mar, 2016 - 07:54

É a primeira vez em que um Presidente da República leva as cerimónias à cidade Invicta. O programa ultrapassa as cinco horas e começa pelas 11h00.
A+ / A-

O Presidente da República encerra, esta sexta-feira, no Porto as cerimónias da sua tomada de posse iniciada na quarta-feira, com visitas à Câmara, ao bairro do Cerco e a uma exposição sobre o vereador da Cultura que morreu em Novembro.

“Porque Portugal é mais do que Lisboa”. Foi desta forma que Marcelo Rebelo de Sousa explicou, há oito dias na Faculdade de Direito, a extensão ao Porto da tomada de posse como Presidente da República.

Na primeira vez em que um Presidente estende ao Porto as formalidades ligadas à sua tomada de posse, Marcelo Rebelo de Sousa é recebido oficialmente na Câmara, onde discursa pelas 11h30, vai à Galeria Municipal para ver a exposição "P. - uma homenagem a Paulo Cunha e Silva, por extenso" e assiste a uma exibição de hip hop no bairro do Cerco, onde também visita um centro de dia.

O programa ultrapassa as cinco horas e começa pelas 11h00, com o autarca independente Rui Moreira a receber o novo PR na Praça General Humberto Delgado, junto aos Paços do Concelho, seguindo-se honras militares.

Depois de almoço, pelas 14h30, o novo PR percorre, a pé, um curto trajecto no interior do Palácio de Cristal, entre a Casa do Roseiral e a Biblioteca Almeida Garrett, onde fica a Galeria Municipal.

Neste espaço está, em fase final de montagem, a exposição que inaugura no sábado, dedicada a Paulo Cunha e Silva, o vereador da Cultura que morreu em Novembro devido a problemas cardíacos.

O novo Presidente é esperado pelas 15h30 no bairro municipal do Cerco, na zona oriental da cidade, deslocando-se a pé até ao largo dos Afectos, onde vai visitar um Centro de Dia e assistir a uma exibição do projecto OUPA, resultado de uma residência artística de quatro meses com jovens daquele complexo habitacional.

Liderada pela rapper Capicua, pela psicóloga Gisela Borges, pelo músico André Tentúgal e pelo videasta Vasco Mendes, a iniciativa integra o programa municipal Cultura em Expansão, desenhado por Paulo Cunha e Silva para zonas socialmente fragilizadas da cidade.

No sábado, Marcelo Rebelo de Sousa abre as portas de Belém. Entre as 10h00 e as 17h00 terá a oportunidade conhecer o exterior e o interior, tendo acesso a áreas reservadas. Pode assistir ao render Solene da Guarda e a concertos.

Eleito a 24 de Janeiro com 52% dos votos, Marcelo Rebelo de Sousa, 67 anos, tomou posse como Presidente da República na quarta-feira em Lisboa.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António
    11 mar, 2016 Porto 11:34
    Mas o que é isto!!! isto é um circo ou algo do género, este homem não é pago para trabalhar!??! mais parece uma feira de vaidades o que se tem passado com eleição deste sr......eu sou do porto mas acho completamente despropositada esta cerimonia!!! vai percorrer todas as cidades do país!??! criticava os outros e afinal é ainda pior! É caso para dizer "olha para o que eu digo e não para o que eu faço"!!! Mas este vaidoso a mim nunca me enganou!!! Triste país o nosso!!!
  • Miguel Botelho
    11 mar, 2016 Lisboa 09:34
    Mas esta autêntica «palhaçada» ainda não acabou? Afinal, quem tomou posse foi o presidente Marcelo ou o rei Marcelo? Foi o rei-palhaço Marcelo ou foi o presidente-tonto Marcelo? Que haja algum bom senso e se perceba que o país não está para este carnaval de «One Man Show». Demos posse a um presidente velho. Acabará o mandato com 73 anos. É tempo de escolher outra cara, outra pessoa e outro rumo.