A+ / A-

Europa e Turquia tentam aproximação

07 mar, 2016 - 13:31 • Anabela Góis

No habitual espaço Olhar Europa, fazemos uma previsão do que vai ser a próxima semana para a Europa. E o destaque vai para a cimeira europeia de hoje com a Turquia.
A+ / A-
Olhar Europa (07/03/2016)
Olhar Europa (07/03/2016)

A crise dos refugiados começa a ser discutida à hora do almoço. Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia e o Primeiro-ministro da Turquia sentam-se à mesa para tentarem conciliar posições de forma a porem em marcha o plano já acordado.

Bruxelas quer que Ancara receba os migrantes ilegais que chegaram à Grécia a partir do país e quer também que controle as fronteiras para travar novos fluxos. Para isso contribui com um apoio de 3.000 milhões de euros.

Na terça-feira a Turquia recebeu de volta 300 migrantes provenientes de países do norte de África que estavam na Grécia, o que foi considerado um sinal de que o acordo com a União Europeia está a começar a dar frutos, embora seja preciso reduzir de forma drástica os fluxos provenientes da Turquia.

Como contrapartida Ahmet Davutoğlu vai exigir o fim dos vistos para os turcos que viajam para a Europa. Quer também acelerar o processo de adesão da Turquia à União Europeia.

Encerrada a conversa com a Turquia e depois da fotografia de família segue-se a reunião dos membros do Conselho Europeu para continuar a discutir soluções para a crise migratória.

Donald Tusk – o presidente do Conselho – quer convencer os parceiros a ajudarem a Grécia a resolver a crise humanitária e a acelerar a distribuição dos refugiados. O que continua a ser feito a conta-gotas: Hoje chegaram 64 a Portugal e 150 a França.

O Primeiro-ministro turco aproveita a deslocação a Bruxelas para se encontrar, esta tarde, com o secretário-geral da NATO com quem vai discutir o plano da Organização para controlar o fluxo de refugiados e de traficantes que passam da Turquia para a Grécia.

Olhos postos em Bruxelas também por causa reunião do Eurogrupo que hoje pode pronunciar-se sobre o Orçamento do Estado Português. Os ministros das Finanças dos países do Euro vão falar, também, da conclusão do resgate ao Chipre bem como das reformas que a Grécia aceitou implementar em troca de ajuda financeira.

Hoje ainda há reunião de ministros dos Assuntos Sociais e do Emprego e, em Estrasburgo, arranca mais uma sessão plenária do Parlamento Europeu, durante a qual os eurodeputados vão debater o resultado das conversações sobre a crise migratória.

Amanhã os ministros das Finanças voltam a Bruxelas: desta vez é a reunião a 28. Em agenda está a discussão de um pacote de propostas para combater a evasão fiscal por parte das multinacionais.

Na quarta-feira o Presidente da Comissão Europeia vai estar de visita a Lisboa. Jean-Claude Juncker assiste à cerimónia oficial de tomada de posse de Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República e reúne-se com o Primeiro-ministro António Costa.

Nesse dia, mas em Bruxelas, há Conselho de Assuntos Económicos e Financeiros.

Na quinta-feira arranca uma reunião, de dois dias, dos ministros da Justiça e do Interior da União Europeia. Em discussão, vai estar um relatório sobre a proposta de criação da guarda de fronteira europeia, entre outras questões relacionadas com a imigração. Vão também discutir a criação de um “Ministério Publico Europeu” para combater crimes contra os interesses financeiros da União.

Ainda nesse dia, o presidente da Comissão Europeia recebe o Secretário-Geral da NATO. E o comissário europeu dos Assuntos Económicos visita Lisboa, no âmbito do semestre europeu de coordenação de políticas económicas e orçamentais. Pierre Moscovici tem reuniões marcadas com o Primeiro-ministro e com o ministro das Finanças.

Em Frankfurt espera-se que o Banco Central Europeu anuncie novas medidas de estímulo à economia e de combate à baixa dos preços. Medidas que podem incluir taxas de juros mais baixas e a expansão do programa de compra de títulos do BCE. Em Bruxelas são entregues os prémios Mulheres Inovadoras da União Europeia - 2016.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.