A+ / A-

Portugal atrai mais turistas espanhóis com qualidade e diversidade de oferta

23 jan, 2016 - 16:11 • Ana Carrilho, em Madrid

Turismo nacional marca presença na FITUR, a maior feira internacional de turismo de Espanha. Últimos anos têm sido de crescimento para o sector turístico português e há regiões em que a presença de “nuestros hermanos” é cada vez mais notória.
A+ / A-

No ano passado, Portugal recebeu 1,6 milhões de turistas espanhóis, mais 6% do que em 2014. Os números foram avançados pelo presidente do Turismo de Portugal, em entrevista à Renascença, no decorrer da Feira Internacional de Turismo de Madrid (FITUR), que decorre na capital espanhola até domingo.

“Espanha é o país que mais turistas emite para Portugal, mas não é o que gera mais dormidas ou receitas. É um mercado de proximidade, mais receptivo a iniciativas e promoções oportunistas. E a FITUR é um excelente momento para dar a conhecer ofertas mais localizadas, mais específicas e diferenciadoras que noutros mercados têm mais dificuldade em ser aproveitadas”, afirma João Cotrim Figueiredo.

Regiões do Norte e Centro conquistam vizinhos com gastronomia e vinhos

Os últimos anos têm sido de crescimento para o sector turístico português e há regiões em que a presença de “nuestros hermanos” é mais notória. Espanha é o principal mercado da região do Porto e Norte, a suplantar o nacional.

No último ano, cresceu 17% em relação a 2014, “o resultado da promoção dos produtos estratégicos - gastronomia e vinhos - que a região de turismo tem feito em todas as províncias de Espanha e não apenas na FITUR”, sublinha o presidente da região de turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira, ao mesmo tempo que afirma a continuidade e intensificação da aposta na proximidade.

Este ano, a regiões do Norte e Centro de Portugal uniram esforços e partilharam custos para ter um “stand” próprio na FITUR, com animação contínua ao longo dos cinco dias de feira. Provas de dezenas de vinhos das duas regiões e gastronomia confeccionada por três chefes, dois deles com estrelas Michelin, garantem enchentes de profissionais e público no espaço. A parceria é para continuar noutras grandes feiras internacionais, garantem Melchior Moreira e Pedro Machado, presidente da região de turismo do Centro.

O Centro é uma das regiões com maior diversidade de oferta turística em cem concelhos, que atravessa o país do Litoral ao Interior, onde os turistas chegam à procura da gastronomia, mas também da natureza, património e cultura.

O ano passado o mercado espanhol cresceu 14% e a aposta, diz Pedro Machado, “é para que já na Páscoa deste ano se assista a um aumento exponencial de turistas”. “Há procura crescente e um exemplo disso é o número de atendimentos feitos no posto de turismo de Aveiro. Num total de 26 mil, 16 mil foram a turistas espanhóis”.

Pedro Machado revelou ainda que as duas regiões estão a preparar a realização de um grande evento gastronómico bianual e esperam reunir condições para a realização do Rally de Portugal de 2017.

2016 vai ser muito bom para o Algarve

Outro responsável pelo turismo regional que se mostra muito optimista é Desidério Silva. Com a saída da crise, nos últimos dois anos, o mercado espanhol começou a recuperar no Algarve. “2015 deu sinais muito positivos, sentimos essa procura crescente. Em 2016, as coisas vão correr bem para o turismo algarvio”, diz o presidente da região de turismo.

O ano passado os turistas de Espanha geraram quase 700 mil dormidas no Algarve, e há ainda que contar com aqueles que estão mais perto, na Andaluzia, que vão apenas almoçar ou jantar e voltam a casa.

Desidério Silva diz que “o turista espanhol que procura o Algarve é cada vez mais da classe média, bom, fica alguns dias e é um bom consumidor. Sobretudo os galegos”. Feriados e pontes enchem a região de espanhóis, mas o ideal é que aumentem a permanência e façam mesmo férias. O que poderá ser conseguido com a ajuda das duas novas rotas para o aeroporto de Faro, inauguradas o ano passado, uma a partir de Barcelona, e outra de Madrid.

Alentejo aposta em produtos de nicho, recusa a massificação

O Alentejo também tem cada vez mais procura turística, depois de alguns anos de retracção. O ano passado a região recebeu mais de meio milhão de estrangeiros, dos quais um quinto é espanhol.

O reconhecimento do cante alentejano e da arte chocalheira pela UNESCO como património imaterial da Humanidade deram maior visibilidade à região, assim como os inúmeros prémios e referências em revistas, sites e blogues da especialidade. “Toda a estratégia tem assentado nos produtos de nicho, não no turismo de massas”, afirma o presidente da agência de promoção turística do Alentejo, Vítor Silva.

Tal como noutros anos, a agência levou a Madrid cerca de 30 pequenos empresários do sector que aproveitaram a FITUR para fazer contactos e mostrar os seus produtos. Vinhos e gastronomia, mas também o património, cultura e cada vez mais a natureza, atraem turistas com vontade de viver experiências diferentes, com poder de compra elevado e dispostos a consumir produtos de qualidade acrescida. O objectivo também é que fiquem cada vez mais tempo.

Este é também o turista que a Madeira já atrai. Espanha é actualmente o quinto mercado emissor para a ilha, mas Roberto Santa Clara, director da agência de promoção da Madeira, diz que o ano passado se registou um crescimento de 5%. “Se este ano se mantiver o ritmo, já é bom sinal”, admite.

Investimento em promoção turística em Espanha aumenta 25% em 2016

Tendo em conta a importância do mercado espanhol para Portugal, a secretária de Estado do Turismo anunciou o aumento de 25% no investimento na promoção. Ana Mendes Godinho sublinha que “a aposta vai ser sobretudo na oferta de qualidade e diversidade e não em preços baixos”.

O presidente do Turismo de Portugal Pedro Cotrim Figueiredo garante que o investimento na promoção, nomeadamente digital, vai ser feito com maior qualidade. “Cada euro que estaremos a investir em Espanha, e noutros mercados, será mais eficaz do que o investido nos anos anteriores”, garante.

“Estamos a criar condições para fazer uma qualificação de Portugal enquanto destino turístico nas suas várias vertentes. E isso vai, obviamente, atrair mais pessoas, mais dispostas a ficar mais tempo e a gastar mais”, conclui.

A FITUR é a maior feira internacional de turismo de Espanha. A 36ª edição decorre de 20 a 24 de Janeiro. Cerca de 9.500 empresas de 165 países marcaram presença. A organização espera mais de 222 mil visitantes, onde se incluem 125 profissionais do sector.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Quinta Dom José
    24 jan, 2016 braga 22:07
    É com satisfação que a Quinta Dom José turismo rural recebe esta notícia e também temos registado um aumento grande de turistas franceses. O Minho é uma região rica em gastronomia e património, talvez a região mais forte nestes 2 atrativos turisticos.
  • adamastor
    24 jan, 2016 Algarve 02:23
    que noticia desnecessaria, é como dizer que o dia é mais claro que a noite.