|
A+ / A-

Regresso dos feriados aprovado no Parlamento

08 jan, 2016 - 13:40

O PSD e CDS abstiveram-se na votação da reposição dos feriados, que passou com os votos do Governo e dos partidos de esquerda.

A+ / A-

A Assembleia da República acaba de repor os quatro feriados que foram suprimidos pelo anterior executivo em 2013. Assim este ano, o 5 de Outubro, o 1 de Novembro, 1 de Dezembro e o Corpo de Deus, feriado móvel que este ano se celebra a 26 de Maio, voltam a ser feriado.

A votação, que decorreu esta sexta-feira, contou com os votos a favor do PS, PCP, Bloco de Esquerda, Os Verdes e PAN, e a abstenção do PSD e CDS.

A aprovação das iniciativas do PS, PCP, BE e PEV foi saudada nas bancadas à esquerda com aplausos, depois de o deputado socialista Pedro Delgado Alves ter anunciado uma declaração de voto que se resumia a "viva a República, viva a independência".

Os partidos de direita mostram-se contra a decisão ter avançado sem que fosse discutida em Concertação Social.

No debate em plenário, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares anunciou que o Governo já tem o parecer favorável da Santa Sé para avançar com a reposição em 2016 dos dois feriados religiosos retirados em 2012, com efeitos a partir de 2013 - o de Corpo de Deus (móvel) e o dia 1 de Novembro (Dia de Todos os Santos).

Tal como a Renascença avançou em primeira mão, os dois feriados religiosos suprimidos em 2013 vão ser repostos este ano. A indicação já havia sido confirmada por fonte do Governo, em declarações à Renascença, e pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

O ministro anunciou na passada terça-feira que os feriados religiosos retirados em 2013 serão repostos este ano, ao mesmo tempo que os feriados civis.

"Logo que a decisão sobre a reposição dos feriados civis esteja feita em Portugal, o ministério dos Negócios Estrangeiros, que é o organismo responsável, trocará, em nome do Estado português, com a Santa Sé, notas verbais que reporão os feriados religiosos em 2016. Portanto, os feriados religiosos serão repostos ao mesmo tempo que os feriados civis", disse o ministro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Sousa
    08 jan, 2016 Porto 21:29
    Para os que acham que os feriados foram bem retirados, e que os patrões ficaram podres de ricos, eu convido-os a criarem as suas empresas, logo criarao empregos, terão ferraris, ficarão gordos, fumarao charutos, passarão férias no Havai, e por fim estarão rodeados de mulheres bonitas acompanhados de muito wisque e do bom. Eu pergunto em que mundo e quevivem?. Mais de noventa por-cento das empresas portuguesas, são de cariz familiar, em que os donos trabalham tanto ou mais que qualquer empregado, não teem feriados nem fins de semana, e são muitas as vezes que não conseguem dormir a pensar onde vão arranjar dinheiro para pagar salarios, materias primas, impostos, e outras despesas que fazem parte do seu funcionamento. Se calhar, o melhor mesmo será baixar os braços, pedir a insolvência e passar a fazer parte dos já tao altos números do desemprego.
  • Revoltado
    08 jan, 2016 Coimbra 20:11
    Não são as noticias que me dão comer à boca deste corpo que me transporta, mas certos comentários, mais me faz lembrar uma seita religiosa, ou alguns elementos islâmicos, que sabem tudo, mas qual dos políticos teve de ficar sem casa sem comer muitos dias, os filhos tiveram de imigrar para não morrerem à fome, algum dos políticos estendeu a mão destes ou dos outros, os que gozam afirmando a pobreza do povo, mas qual foi o contributo para a sua não existência, até gozam com a morte nos hospitais tudo serve para a politica, desde quando as pessoas não morreram e continuarão a morrer nos hospitais com falta de assistência, por uma simples razão o dinheiro onde os ricos tem médico porventura alguma vez, foi noticia dos ricos deste país de morrer no hospital ou de algum politico se viu morrer por falta de assistência médica, lembro-me do internamento do Presidente Jorge Sampaio, em Coimbra onde os cirurgiões quase se iam de-gladiando para a operação ao estadista, "perdoem-me mas não sejam burros os políticos não são coitadinhos mas sim os burlões de um povo"
  • Pinto
    08 jan, 2016 Porto 19:31
    Os feriados nunca deviam ter sido mexidos. O país beneficiou com esta medida? Todas as horas extras passaram para 50%, quem foi beneficiado? O país ou o grande patronato? Conclusão..........a ideologia do PSD e CDS é prejudicar a classe média e média baixa.
  • Alberto de Lima Tele
    08 jan, 2016 Viseu 19:07
    Grande Tónio Costa é assim mesmo parabéns
  • José Soares de Pinho
    08 jan, 2016 Gafanha da Nazaré 18:03
    Até que enfim, que o governo, a esquerda e a extrema esquerda, dão alguma coisa aos reformados.
  • Rui Correia
    08 jan, 2016 Ericeira 17:36
    Os unicos que beneficiaram com a retirada de 4 feriados + o dia de carnaval + 3 dias férias (25 dias) foram os patrões !!!
  • Jakaré
    08 jan, 2016 Buraka 17:26
    Curiosas são as posições do PPD/CDS ao absterem-se, para mim um claro assumir de culpas, de arrependimento! Sim, porque com esses cortes todos só beneficiaram os seus amigos patrões ricos, prejudicando a maioria dos trabalhadores. O País não melhorou mesmo nada, antes pelo contrário!
  • José Ferreira
    08 jan, 2016 açor 17:02
    Oh observador, pelo menos há ainda pessoas com comentários discretos e verdadeiros. Concordo absolutamente com o que disse. É impressionante ver o tipo de mentalidade que se vê aqui em alguns comentários. Que tristeza de gente.
  • Maria Mercês
    08 jan, 2016 Santarém 16:57
    Para concluir só lamento que com tantas facilidades , para agradar a gregos e troianos, Portugal dentro de pouco tempo volte a estar sem credibilidade no exterior , prejudicando assim a imagem de confiança que tinha antes das ultimas eleições ganhas pelo PSD/CDS PP . Sim foram eles que venceram as eleições. O resto é "fantochada"
  • Para a Sara
    08 jan, 2016 poisé! 16:45
    Oh Sara você pertence à corja do psd cds e dos patrões exploradores e sem escrúpulos que enriquecerem mais à custa de quem levava um salário de miséria, que passava fome e nem tinha dinheiro nem para pagar a água. Eu vejo muitos destes, infelizmente....É isso que você quer? É isso que você gosta de ver? Vocês deviam ter vergonha....