|
A+ / A-

Ex-presidente do banco. Venda do Banif foi "desastrosa"

24 dez, 2015 - 00:06

Jorge Tomé defende uma investigação criminal ao caso e garante que não havia buraco nas contas.

A+ / A-

O ex-presidente do Banif, Jorge Tomé, classifica como “desastrosa” a venda do banco ao Santander Totta.

Em entrevista à SIC Notícias, Jorge Tomé diz que nunca foi informado sobre toda a operação levada a cabo pelo Banco de Portugal e que o governador do banco central nunca falou com ele.

Em cinco dias, acrescenta Jorge Tomé, o Banif perdeu “cerca de mil milhões de euros”.

O ex-presidente do banco lamenta que “a gestão do banco aparece de repente como se fossemos bandidos” e defende uma investigação criminal, dizendo que até se devia fazer “uma auditoria” ao processo de venda do banco comparando as alternativas que existiam.

Tomé garante que “não há buraco nenhum, as contas estavam direitinhas e limpinhas”. As contas eram “auditadas e validadas semestralmente com concordância do Banco de Portugal, que tinha dois administradores e uma comissão de auditoria do Ministério das Finanças. Não há nenhum problema com as contas do Banif”.

Sobre o comprador, o Santander, Jorge Tomé acha que tudo aconteceu de uma forma estranha e até admite que o banco espanhol até pode ter sido contactado antes de se candidatar.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Jaime Alves
    06 jan, 2016 Chaves 15:08
    A partir daqui, lanço um repto ao ex-presidente do Banif, Sr. Jorge Tomé, que a avaliar pelas suas palavras considera a venda do banco desastrosa, atendendo à forma como a mesma se processou; que junte a sua à nossa voz e colabore abnegadamente connosco, no sentido de, não apenas nos ajudar a reaver tudo o que nos foi sub-repticiamente e de forma ardilosa subtraído (apenas para não recorrer a terminologia mais adequada à realidade dos factos), bem como para limpar o seu bom nome e dos demais ex-colaboradores seus, do Banif. Por favor junte-se a nós e contribua - revelando toda a verdade dos factos de que tem conhecimento - para que se faça justiça! Aguardo, melhor dizendo, aguardamos parecer.
  • Carlos Alberto Lopes
    26 dez, 2015 Belo Horizonte 10:32
    Jorge Tomé é um dos ratos exemplos de gestão com isenção , seriedade e sentido de dever. As suas denúncias devem ser averiguadas e levadas às últimas consequências. Comprar bancos em Portugal virou um negócio de "amigos".
  • Vasco
    24 dez, 2015 Santarém 18:18
    Então o senhor Tomé tinha as contas todas certinhas e direitinhas e o Banco caiu assim praticamente oferecido depois de absorver vários milhares de milhões de euros do Estado, onde se passou afinal esse dinheiro e para que serviu? Francamente isto é insuportável não bastava os políticos a darem-nos cabo da cabeça diariamente vêm agora também os banqueiros acabar com o resto, será que todos tenham andado na mesma universidade de Sócrates e infelizmente não há políticos com eles no sítio capaz de enfiar toda esta gente na prisão, pelo contrário acabam por colaborar.
  • Duarte
    24 dez, 2015 Leça do balio 17:29
    Portugal um pequeno país mas é maior que a Itália em curropeção
  • Paulo
    24 dez, 2015 vfx 15:23
    Portugal é um país sem futuro,não temos políticos que sirvam o país e o povo, temos um máfia no sistema bancário,temos interesses instalados no parlamento onde a sua maioria pertence aos tais escritórios de advogados,one em 1ºlugar estão os interesses de quem servem,servindo-os através de informação preveligiada,temos uma justiça que funciona mal e leva imenso tempo,temos índices de corrupção nunca vistos etc......Os jovens emigram e os velhos aguardam a morte silenciosamente,e o pessoal activo que trabalha e recebe uma miséria, é obrigado a dar o pouco que ganha aos indicados no 1ºparágrafo.E nem temos um presidente que olhe pelo país e pelo povo.Que triste país este.
  • paivante
    24 dez, 2015 maia 14:35
    Afinal já entramos na era Teorema Socrates - começou a trafulhice - paga zé
  • jose
    24 dez, 2015 Sintra 12:56
    O Sr, Tomé esta preocupado com a venda do Banif. ficou sem o tacho..........Seria mais um buraco como todos outros, e nos a pagar
  • Carlos Costa
    24 dez, 2015 Santarem 12:55
    Pelo pouco que se conhece,tambem tenho essa ideia de que,esta venda foi,de facto,uma oferta de Natal para o Santander Totta.Aliás,vindo deste governo,ou melhor,vindo desta geringonça,tudo é possível!!!Esperemos que,para de todos nós e do país,este governo dure o tempo minínimo,isto é,até ao próximo verão.
  • FRANCISCO OLIVEIRA P
    24 dez, 2015 VILAR DE ANDORINHO VNG 12:23
    Há muitas coisas que o Zé não consegue entender. As acções do banco subiram drasticamente nestas duas últimas semanas, mas então o banco estava falido e havia quem estivesse interessado nele ????? Ou foi para ficarem maioritários e o resto é pego pelo Zé ?????? BOAS FESTAS PARA TODOS
  • maria
    24 dez, 2015 Lx 12:16
    Só o PCP(CDU) tem razão, é bom que se saiba.