O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

Sporting pode requerer efeito suspensivo do pagamento à Doyen

21 dez, 2015 - 18:15

Nogueira da Rocha, membro do Tribunal Arbitral do Desporto, esclarece algumas questões relacionadas com o diferendo entre o clube português e o fundo.
A+ / A-

O Sporting pode requerer a suspensão preventiva do pagamento de uma indemnização à Doyen Sports, decretada esta segunda-feira pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), na sequência da transferência de Marcos Rojo para o Manchester United.

João Nogueira da Rocha, membro do TAS, explica, no âmbito do diferendo entre os leões o fundo de investimento de jogadores, que o recurso já anunciado pelo clube português, por si só, não tem qualquer tipo de efeito suspensivo. Os verde e brancos, nesse sentido, terão de entregar um pedido para o efeito.

"Este recurso para o tribunal federal suíço não tem efeito suspensivo mas, quando requerido pela parte, o tribunal normalmente atribui efeito suspensivo no que diz respeito ao pagamento. Os efeitos da decisão estão suspensos até à decisão definitiva. Depois dependerá da celeridade do tribunal mas, se falarmos [de um período] de seis meses a um ano, não devo errar muito", refere, em esclarecimentos prestados a Bola Branca.

Duelo Sporting-Doyen em seis parágrafos

O Sporting e a Doyen, que investiu três milhões e era detentora de 75% dos direitos económicos do defesa internacional argentino, entraram em conflito no ano passado, a propósito da proposta do Manchester United para a transferência de Rojo, que acabou por se concretizar por 20 milhões de euros.

Dias antes da mudança do defesa para Old Trafford, o Sporting rescindiu unilateralmente os contratos que tinha com o fundo de investimento, relativos aos jogadores Rojo e também ao marroquino Labyad, alegando justa causa.

Com esta decisão, o clube de Alvalade restituiu à Doyen os três milhões de euros que o fundo tinha investido no jogador e pagou 4,5 milhões ao Spartak Moscovo, clube no qual Rojo tinha actuado antes de ingressar em Alvalade e que tinha direito a uma percentagem numa futura transferência.

Na altura, em Agosto de 2014, o Sporting anunciou que, da restante verba que recebeu do Manchester United, iria investir nove milhões de euros na construção de um novo pavilhão para o clube.

Ora, agora, o Sporting sai derrotado do caso com a Doyen, sendo condenado a pagar 17,2 milhões de euros, dos 20 milhões recebidos do clube inglês, mas vai recorrer da decisão.

A empresa reclamava 75% da verba e era entendimento do Sporting que só teria de pagar 4,5 milhões, já transferidos. Os leões terão, assim, que saldar uma dívida de 12,7 milhões de euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.