O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Sócrates acusa Cavaco de "desacreditar" solução de esquerda

22 nov, 2015 - 14:57

Antigo primeiro-ministro considera que o Presidente está a lançar "as bases da campanha eleitoral que a direita um dia fará contra o futuro Governo que ainda não o é".
A+ / A-

José Sócrates afirmou este domingo que está de volta à vida política portuguesa e deixou críticas à actuação do Presidente da República no pós-eleições legislativas.

Num almoço com apoiantes em Lisboa, o antigo primeiro-ministro e arguido na “Operação Marquês” acusa Cavaco Silva de estar ao serviço da direita e de estar a ouvir personalidades antes de tomar uma decisão, apenas para descredibilizar um futuro Governo de António Costa.

“A intenção do senhor Presidente da República, com esta demora, com estas audições, não é outra que não seja tentar desacreditar e enfraquecer a solução política de Governo que é a única solução política que o país dispõe”, disse José Sócrates, perante aplausos dos apoiantes.

O antigo primeiro-ministro considera que o Presidente da República está ao serviço de uma estratégia da direita.

“No fundo, o que o senhor Presidente da República quer e estar a fazer é sublinhar a anormalidade desta solução política, mostrar que ela é muito anormal, muito estranha, para com isso construir as bases da campanha eleitoral que a direita vai fazer. Ou melhor, as bases da campanha eleitoral que a direita um dia fará contra o futuro Governo que ainda não o é”, acusa José Sócrates.

O antigo líder do PS também deixou farpas a Pedro Passos Coelho: "É preciso ser muito cínico e ter muito desplante para dizer ao Partido Socialista, que se apresenta com uma coligação para responder ao fracasso que foi a apresentação do Governo da direita, que esse Governo que se apresenta como a única solução é um golpe. Golpe deram eles em 2011", argumentou, numa referência ao chumbo do PEC 4 e à queda do seu executivo.

O antigo primeiro-ministro falava num almoço de desagravo em Lisboa, que reuniu cerca de 400 pessoas, entre elas históricos socialistas como Mário Soares e Almeida Santos, o líder da UGT, Carlos Silva, e antigos ministros Como Alberto Costa, Mário Lino e Vitalino Canas.

Numa altura em que se assinala um ano da sua detenção no âmbito da "Operação Marquês", José Sócrates deixou um aviso aos seus adversários: "Se o objectivo de alguém fosse que a minha voz fosse calada, como foi durante muitos meses, ficam agora a saber que essa voz está de volta ao debate público em Portugal".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vasco
    23 nov, 2015 Santarém 22:10
    Lamentavelmente as gentes do PS vêm caindo em descrédito perante a opinião pública, foi a rasteira do Costa ao senhor José Seguro, foi a trafulhice do senhor Costa com uma "aliança" à pressa depois de derrotado para se apoderar do Poder a meter a extrema-esquerda no mesmo saco "farinha do mesmo saco", foi a nomeação do senhor Ferro Rodrigues "muito duvidoso" para presidente da AR, é o caso do senhor Sócrates com a justiça e seus camaradas de partido que pressionaram os juízes enquanto preso "à cabeça o senhor Soares" e agora em liberdade faz comícios de promoção própria e ataques aos adversários com apoio da camaradagem socialista e mais alguns interessados na matéria, tudo isto parece um Carnaval politico com cheiro até a imposição que agora vai certamente ainda ter maior ênfase com este pessoal a tomar as rédeas do país.
  • António Zumaia
    23 nov, 2015 SP - Brasil 19:58
    De facto só um politico é capaz de ter este descaramento, mas se ele tem dinheiro para pagar 400 jantares, pode falar. Com direito à presença do padrinho Mário e tudo.
  • Carlos Cabral
    23 nov, 2015 Lisboa 19:14
    Que estará Sócrates a dizer a Soares: deve ser isto, ó pá vê lá se cais da cadeira que foi assim que o Salazar se foi.Lá ficava Sócrates sem o seu inspirador e aspirador dos donativos de Sócrates quando foi 1º ministro e deixou este Portugal na penúria, já não havia dinheiro para pagar os ordenados do pessoal que trabalho para o Estado.Pena foi que isso não tivesse acontecido.Hoje não diziam que foi o mau da fita Passos Coelho.Sócrates só tinha dinheiro para os amigos e soares era sempre a entrar para a sua fundação,assim como Costa na câmara de Lisboa também arranjava algum.Por isso a falência.Mas Socrates sabia que para ele não ia faltar e até entravam ao milhões.
  • Henrique Anastácio
    23 nov, 2015 Madrid 19:04
    Socrátes depois de 6 anos a desgovernar Portugal dexando o país na bancarrota y com um proceso encima do qual ainda está para ser julgado devia ter um minimo de respeito por si próprio y pelos portugueses antes de voltar a mandar palpites. Totalmente inconsciente, sem um mínimo de vergonha na cara. Triste
  • José Soares de Pinho
    23 nov, 2015 Gafanha da Nazaré 14:45
    Já toda a gente sabe que a única pessoa séria deste país é o Sócrates. Talvez ainda chegue a PGR. Pelo caminho que isto leva!!!!
  • Petervlg
    23 nov, 2015 Valongo 09:57
    Este fulano tem uma lata, ainda diz que a vinda da troika é culpa do PSD, e alguns b.... ainda aplaudem
  • rosinda
    23 nov, 2015 palmela 02:04
    o banca rota e tao bom ! mas teve de levar guarda costas atraz!
  • rosinda
    23 nov, 2015 palmela 01:54
    a radio renascença tambem foi atraz do banca rota ! Fotos no site do jornal de noticias mostram a loura aflita para ouvir o mentiroso !
  • Luís Santos
    22 nov, 2015 Aljezur 22:47
    Existe uma praça em Londres para qualquer um discursar e dizer o que lhe vai na alma. Talvez esteja no momento de se arranjar uma em Portugal (ou uma em cada cidade, vila e terriola). O cidadão José Sócrates Pinto de Sousa pode disccursar por lá ao invés de ocupar tempo de antena nacional com os seus pequenos assuntos.
  • jose
    22 nov, 2015 porto 22:29
    Elizabete Botelho, só gente ignorante ou da mesma estirpe pode dar algum crédito a este falso engenheiro