A+ / A-

Manifestação pró-Governo com membros do PSD e CDS

10 nov, 2015 - 14:29

Com bandeiras de Portugal e da coligação Portugal à Frente, os manifestantes cantam o hino e gritam diversas palavras de ordem, entre as quais "Costa para a rua, esta casa não é tua" e "não à moção de rejeição".
A+ / A-
Manifestação pró-Governo com membros do PSD e CDS
Manifestação pró-Governo com membros do PSD e CDS

A manifestação contra o derrube do actual Governo frente ao Parlamento contou com a participação dos líderes parlamentares do PSD e do CDS, Luís Montenegro e Nuno Magalhães.

A partir da varanda da Assembleia da República, o primeiro-ministro e o vice-primeiro-ministro também saudaram os manifestantes.

Com bandeiras de Portugal e da coligação Portugal à Frente em punho, os manifestantes cantam o hino nacional e gritam diversas palavras de ordem, entre as quais "Costa para a rua, esta casa não é tua" e "não à moção de rejeição".

Alguns cartazes envergados têm ainda outras inscrições: "Quem ganhou? Democracia não é hipocrisia", "moção de rejeição/traição à população" e "Portugal não merece um Governo do PS".

A acção de protesto, convocada nas redes sociais, foi organizada pelo líder do CDS de Monforte, Mário Gonçalves que, à Lusa, explicou que a acção "não tem qualquer cariz político" e que nasceu de um movimento "voluntário e espontâneo" nas redes sociais.

A votação do programa do Governo desta terça-feira vai ser acompanhada em São Bento por duas manifestações: uma de apoio ao executivo, que começou às 13h00; e outra, da CGTP, às 15h00, a favor do derrube da coligação PSD-CDS e de uma viragem à esquerda.

A CGTP quer assinalar "a rejeição do programa do Governo do PSD/CDS e, consequentemente, a sua demissão".

Com o objectivo contrário encontram-se frente à Assembleia apoiantes do Governo provenientes principalmente do alto Alentejo. A ideia desta concentração foi lançada nas redes sociais pelo líder do CDS de Monforte, Mário Gonçalves, sob o lema "Não a uma moção de rejeição".

A PSP vai criar um corredor de segurança em frente à Assembleia e atribuir locais separados paras as duas manifestações programadas para esta terça-feira.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    10 nov, 2015 Lisboa 17:29
    Governo de PS? Com extrema-esquerda? Olá Troika, ve-mo-nos daqui a uns mesitos. Esquerdistas, parem de estragar a vida dos Portugueses com as vossas falsas promessas. Não me admirava nada que uma das primeiras acções de Catarina Martins e Jerónimo de Sousa fosse erguer um muro com a fronteira Espanhola e deixar o acordo do espaço Schengen. Extrema esquerda é a ruína do país. Não há um único país no mundo, que seja de extrema-esquerda e que tenha bons resultados. Na China a população passa fome, na Rússia estão na miséria, nas Venezuelas e Cubas deste mundo então nem se fala. Tenham vergonha na cara. Não me esqueço dos ataques terroristas que andaram a fazer após o 25 de Abril. É isso mesmo que vocês são, TERRORISTAS !
  • antonio pereira
    10 nov, 2015 usa 16:18
    Todo este interesse do costa tem tambem outro sentido....livrar o seu amigo Sousa..vulgo socrates do buraco alias cratera onde se meteu mas deliberadamemte..ainda foi julgado mas aonde ha fumo ha fogo. A fazer fe nas noticias e que estamos estamos a comentar..sabem quem e que mandou silenciar o correio da manha? Mais dia menos dia essa senhora e nao ficarei admirado fara parte do governo liderado pelo insaciavel. Bosta..perdao costa. VALE UMA APOSTA?desculpem se me enganei..
  • Jorge Silva
    10 nov, 2015 Aveiro 15:49
    Os partidos de esquerda defendem trabalhadores de primeira e trabalhadores de segunda, 35h para funcionários publicos e 40h para os funcionários privados isto anualmente da uma diferença de 30 dias de trabalho! Porque motivo não defendem o mesmo número de horas de trabalho para todos?
  • 10 nov, 2015 15:37
    FORÇA PESSOAL! VIVA PORTUGAL! VIVA SÁ CARNEIRO!
  • F. SILVA
    10 nov, 2015 TOMAR 15:32
    Há grandes "democratas". ! Querem perpetuar-se no poleiro, à custa da intimidação. Querem continuar a saquear o país.
  • maria
    10 nov, 2015 lx 15:32
    Renascença uma rádio de inspiração cristã deixa passar comentários do tipo do henrique raposo????
  • Henrique Raposo
    10 nov, 2015 Lisboa 15:10
    Isto só lá vai com sedes do pc, ps e be a arder
  • GURU
    10 nov, 2015 lisboa 15:09
    Ementa: Arroz com Joaquinzinhos Filetes de Joazinhos Susaninhas de rabo na boca
  • lm
    10 nov, 2015 Setúbal 15:02
    Coitados. Será vai aumentar a fila de desempregados no IEFP?