O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
|
A+ / A-

"Extraordinário". Bloco critica nomeação de quem defendeu Ricardo Salgado

27 out, 2015 - 17:23

Novo ministro da Administração Interna atestou idoneidade do ex-líder do BES. O candidato à Presidência Paulo de Morais diz que Cavaco não deve dar posse a Calvão da Silva.
A+ / A-

A porta-voz do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, disse esta terça-feira que Pedro Passos Coelho e Paulo Portas continuam a surpreender e “não deixa de ser extraordinário” que tenham chamado para o Governo uma figura que defendeu Ricardo Salgado.

“Não deixa de ser extraordinário como Passos Coelho e Paulo Portas não deixam de surpreender mesmo nestes momentos”, vincou a bloquista, referindo-se à nomeação de João Calvão da Silva para ministro da Administração Interna (MAI).

João Calvão da Silva foi notícia em 2013 por ter emitido um parecer por escrito atestando a idoneidade de Ricardo Salgado para continuar a exercer funções no então Banco Espírito Santo (BES), parecer esse utilizado pelo ex-banqueiro como defesa junto do Banco de Portugal (BdP).

Falando em conferência de imprensa na sede nacional do Bloco, em Lisboa, no final de um encontro com o jornalista e activista angolano Rafael Marques, Catarina Martins declarou ainda que o Presidente da República, Cavaco Silva, colocou Portugal numa posição “constrangedora” de ver um executivo ser formado quando se sabe de antemão que o mesmo não será viabilizado na Assembleia da República.

Paulo de Morais: Cavaco não deve dar posse a Calvão da Silva

Esta crítica já tinha sido feita por Paulo de Morais, na sua página do Facebook. O candidato presidencial diz mesmo que o actual presidente da República não devia dar posse a João Calvão da Silva.

“O Banco Espírito Santo (Angola) emprestou 800 milhões a Marta dos Santos, irmã do presidente angolano, para esta construir um empreendimento imobiliário em parceria com o construtor José Guilherme. O mesmo José Guilherme deu uma prenda de 14 milhões a Ricardo Salgado. Segundo parecer de Calvão da Silva, futuro ministro, esta ‘liberalidade’ justifica-se pelo ‘bom princípio geral de uma sociedade que quer ser uma comunidade – comum unidade –, com espírito de entreajuda e solidariedade’. Foi deste modo que Calvão da Silva levou o governador Carlos Costa a manter a idoneidade do ex-presidente do BES", ataca Paulo de Morais.

“Quem atesta a idoneidade de Ricardo Salgado para presidente de Banco não tem idoneidade para Ministro”, conclui o candidato a Belém.

A proposta de composição do XX Governo Constitucional apresentada pelo primeiro-ministro indigitado, Pedro Passos Coelho, é composta por um vice-primeiro-ministro mais 15 ministros, dos quais oito são novos, e inclui quatro mulheres.

Em comparação com o anterior Governo, são criados três novos ministérios na orgânica do XX Governo: o Ministério da Cultura, Igualdade e Cidadania, o Ministério dos Assuntos Parlamentares - que deixa de estar integrado com a Presidência - e o Ministério da Modernização Administrativa. Por outro lado, o Ministério do Desenvolvimento Regional é agora integrado no Ministério da Presidência.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Moreira
    28 out, 2015 Lisboa 19:04
    A RR de facto mostra o catavento que é - Ora vira à direita- ora vira à esquerda radical.Já não se pode dizer que Catarina do BLOCO tem um ar de peixeira(sem ofensa para aquelas queridas que vendem peixe fresquinho na praça) e porquê,porque vai ser governo e a RR precisa dela.Julguei que fossem mais imparciais,mas nem isso são.Querem a desgraça do País vão tê-la e Catarina nada vai fazer por vós.Só se for mandar pôr outra vez uma bomba no vosso emissor.
  • CARLOS
    28 out, 2015 LISBOA 11:19
    O PS ALIADO Á ESQUERDA É UM PASSAPORTE, PARA DESAPARECER NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES. TAL COMO NA GRÉCIA. GOSTARIA QUE ISTO NÃO ACONTECESSE. MÁRIO SOARES NÃO SE QUIS ALIAR, DESTA MANEIRA, PORQUE SE O FIZESSE, SABIA QUE PS, MAIS CEDO OU MAIS TARDE IRIA PERDER A SUA FORÇA POLITICA.
  • 28 out, 2015 10:58
    Votem no Marcelo que ele é afilhado do Marcelo Caetano...
  • Salgadeira
    27 out, 2015 Comporta 21:19
    Esta gente sem vergonha continua a querer afronta!
  • Manuel Sousa
    27 out, 2015 Famalicao 21:16
    Como sempre este governo nomeamdo Galvão da Silva ,e porque quer proteger do sr. Ricardo Salgado mais uma ,outras figuras Carlos Costa etc...
  • A máscara está a cai
    27 out, 2015 Alcains 21:09
    A máscara está a cair. Então Sr. a "Ministra Catarina" um advogado que defendeu Ricardo Salgado ou outro cidadão qualquer não pode ser Ministro A. I. Será que, por isso. Não esperava isso de V. a. Ex. a. Então se defendesse a sr. a já poderia ser ministro. Bonito hein. A tinta está a cair. Qual é o crime que um advogado comete por defender um cliente? Se os deputados têm todos a mesma dignidade os outros (os não deputados) não terão todos a mesma dignidade. Começo a preocupar-me , será que todos os deputados têm todos a mesma indignidade quando lhes cheira a tachos.
  • Paulo
    27 out, 2015 vfxira 20:06
    Comem todos do mesmo tacho!.......e sabem as verdades uns dos outros,daí,não estranhar estas nomeações.
  • Realista
    27 out, 2015 Porto 20:01
    Onde andam os defensores da direita nesta noticia? Já não interessa falar desta corja... Com que então o novo MAI atesta que o Salgado é idóneo? Optimo, é destes que o país precisa, mas é para serem corridas já para a semana!