O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Portugal na linha da frente da Frontex

08 out, 2015 - 10:27 • Ana Rodrigues

Conhecemos a fundo a participação da Polícia Marítima na operação de controlo de fronteiras da União Europeia. No Mar Egeu, perto das ilhas gregas, a Marinha intercepta traficantes de pessoas que fogem da guerra.
A+ / A-

A missão começou no dia 1 deste mês e 358 pessoas já foram resgatadas das águas do Mar Egeu, pela Polícia Marítima portuguesa, que participa, a pedido da agência europeia Frontex, com uma embarcação e 8 agentes na operação “Poseidon Sea 2015”, junto à ilha grega de Lesbos.

O objectivo é o controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e o combate ao crime transfronteiriço e ganha agora maior relevo com a crise dos refugiados.

Esta é a terceira vez que Portugal participa numa missão da Frontex, a Agência Europeia de Controlo de Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia.

A experiência de anos anteriores foi importante para a preparação desta missão, como explicou em entrevista à Renascença o comandante Cortes Lopes, da Autoridade Marítima Nacional e responsável pela missão portuguesa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.