A+ / A-

Chinelos dos pastores da Serra dão a volta ao mundo

22 set, 2015 - 19:45 • ​Liliana Carona

Jovem empresária de Seia recuperação tradições e faz calçado de burel ou com os retalhos das sobras das fábricas têxteis da região.
A+ / A-

Um tipo de calçado serrano em vias de extinção foi recuperado graças a Rita Paiva, uma jovem empresária do concelho de Santa Marinha, em Seia.

Os Chinelos d'Avó são feitos de burel ou com os retalhos das sobras das fábricas têxteis da região. O trabalho é 100% artesanal e o resultado é exportado do interior profundo para os quatro cantos do mundo.

Num pequeno atelier em sua casa, com a companhia de um gato, sentada frente a uma máquina de corte, que a ajuda a talhar os moldes, Rita Paiva dá asas à criatividade. “São tecidos mais grossos, utilizo muito o burel, que é a lã natural de ovelha”, mostra a designer gráfica, de 32 anos.

A história dos Chinelos d'Avó nasceu de um episódio triste na vida Rita Paiva: “O meu pai faleceu em Novembro de 2012 e ele tinha um sobretudo azul escuro, quando ele morreu as irmãs dele, (ele tinha oito irmãs) queriam o sobretudo, e decidi não dar o casaco a ninguém e fazer antes os chinelos a partir do tecido do casaco do meu pai”, conta a jovem empresária.

A partir dali os pedidos não pararam. Passados três anos, Rita faz 50 pares de chinelos, por semana, e até contratou uma funcionária com o apoio do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), que suporta parte do ordenado e os descontos para a Segurança Social.

Os chinelos dos pobres, dos pastores da serra, são agora calçados em todo o mundo. “Alemanha Holanda, Luxemburgo, Venezuela, vieram buscar o que temos de muito bom que é o artesanato”, diz a orgulhosa artesã.

Esta designer gráfica e multimédia quer fazer uma homenagem a todas avós que faziam chinelos de pano: “Houve uma senhora idosa de cá da Santa Marinha que quando viu os meus chinelos só chorava, porque julgava que mais ninguém ia pegar nos chinelos”.

Rita pegou nos chinelos de pano, fez deles negócio e estão agora espalhados por vários pontos do mundo, a milhares de quilómetros de um atelier instalado no interior de Portugal.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • maria luisa costa am
    26 dez, 2015 Lousã 21:18
    Já por duas vezes elogiei os seus chinelos e perguntei o preço e onde podia adquirir, mas não respondeu. Mandei o meu mail, pode responder. Agradeço. M. Luisa
  • maria luisa costa am
    11 out, 2015 Lousã 19:44
    Adorei os chinelos, dou-lhe os parabéns, desejo boa sorte no seu negócio. Gostava de saber onde posso adquirir e o preço. Muito obrigado. M. Luisa
  • maria luisa costa am
    01 out, 2015 Lousã 22:40
    Adorei os chinelos, dou-lhe os parabéns, desejo boa sorte no seu negócio. Gostava de saber onde posso adquirir e o preço. Muito obrigado. M. Luisa
  • raquel fortunao
    29 set, 2015 Alfeizerão Leiria 14:25
    Lindos Gostaria de saber o preço e como faço para encomendar um pra mim 😊 beijinhos e sucesso!!
  • Maria Alzira Sousa
    24 set, 2015 Palmela 21:20
    Gostei muito do seu trabalho. Onde posso adquirir os chinelos?Pode ser na zona de Lisboa ou Almada ou Setúbal. Se me enviar a sua direcção, como vou algumas vezes a Seia ,até posso ir ao seu atelier. Desde já obrigada. Atenciosamente Maria Alzira Sousa
  • Lucília Carona
    24 set, 2015 Gouveia 21:18
    Os pastores antigamente andavam descalços ou de tamancos, hoje calçam botas grosseiras...caminham, sobem e descem ladeiras e penhascos. Vida dura. À noite, depois da ordenha, da higiene calçam os tais chinelos de pano, a fim de terem algum conforto...(antigamente eram feitos com sobras de pano de fábricas e alfaiates, até de aproveitamento de roupas velhas...quem aqui nasceu, vive e teve uma avó...sabe com certeza do que fala!
  • maria luisa costa amaral
    24 set, 2015 Lousã 20:45
    Lindos, qual o preço e como faço para encomendar. Parabéns. M. Luisa
  • Carla Marques
    24 set, 2015 Leiria 12:32
    Gostaria de saber se em Leiria está a venda e onde, pois sempre adorei estes chinelos, só têm um se não precisão no rasto de anti-derrapante? Obrigada
  • Manuela fabrizio
    23 set, 2015 São Paulo 21:02
    Adorei os chinelos me remetem a minha infância pois nasci no vale de igreja uma aldeia bem próxima a serra . Parabéns pelo seu trabalho . Maravilhoso
  • Maria Paula Gonçalves
    23 set, 2015 Lisboa 20:23
    Boa tarde, que boa ideia, ando há imenso tempo à procura e nem na Covilhã consegui, pode mandar-me os preços? cá em casa não gosto dos sapatos da rua. Obrigada