A+ / A-

Duas horas, um minuto e 39 segundos. Há novo recorde mundial na maratona

16 set, 2018 - 14:53

O queniano Eliud Kipchoge já tinha tentado bater o recorde mundial duas vezes. À terceira tentativa teve sucesso.
A+ / A-
Eliud Kipchoge faz história. Há um novo recorde mundial da maratona
Eliud Kipchoge faz história. Há um novo recorde mundial da maratona

O queniano Eliud Kipchoge bateu este domingo o recorde mundial da maratona, ao correr a distância em Berlim em 02.01.39 horas. Inicialmente a organização avançou com o tempo em 02:01.40, mas pouco depois a marca foi retificada para menos um segundo.

Kipchoge, campeão olímpico da maratona e vencedor na capital alemã em 2015 e 2017, bateu o recorde que pertencia ao seu compatriota Dennis Kimetto (02:02.57), que tinha sido alcançado também em Berlim, em 2014, retirando-lhe o tempo de 01.17 minutos.

O novo recordista mundial, que já correu nove maratonas abaixo de 2:06 horas, tinha como recorde pessoal 2:03.05 (Londres, em 2016), e chegava a Berlim exatamente com o objetivo de alcançar um novo recorde mundial.

"Dizem que falhamos duas vezes, mas não à terceira tentativa", disse o campeão olímpico, momentos depois de estabelecer o recorde mundial em Berlim.

"Faltam-me as palavras para descrever este dia", disse ainda o novo recordista, que, aos 33 anos, consegue aquilo que pretendia em Berlim, capital que se assume como 'palco' predileto para os recordes.

O queniano tentou também o recorde em 2017, mas não teve então boas condições meteorológicas, devido à chuva, ao contrário de hoje, dia de temperatura amena e sem vento na capital alemã.

A outra tentativa, em 2015, falhou, mas dessa vez com um problema nas sapatilhas, apesar de o atleta ter vencido a maratona.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.