A+ / A-

Atropelamento na Moita faz um morto e cinco feridos

15 set, 2018 - 13:05

Suspeito do atropelamento com um veículo ligeiro de passageiros foi detido pela GNR ainda no interior da viatura, que ficou imobilizada no local.
A+ / A-

Uma jovem de 17 anos morreu e cinco outras pessoas ficaram feridas na sequência de um atropelamento, ocorrido este sábado de madrugada, nas festas da Moita, no distrito de Setúbal, disse à agência Lusa fonte da GNR.

De acordo com a mesma fonte, o suspeito do atropelamento com um veículo ligeiro de passageiros foi detido pela GNR, que policiava a zona das festas, ainda no interior da viatura, que ficou imobilizada no local.

O atropelamento ocorreu pouco depois das 2h00 na Rua Silva Evaristo, que estava interdita ao trânsito devido às festas, indicou a fonte.

Alegando desconhecer se o atropelamento foi propositado ou não, a fonte da guarda referiu que a rua estava cortada ao trânsito e que para o automóvel entrar tiveram de ser desviadas as baias de segurança.

"O indivíduo atropelou seis pessoas", disse a mesma fonte, referindo que uma jovem de 17 anos ainda foi transportada para o Hospital Garcia de Orta, em Almada, onde acabou por morrer.

Os cinco feridos, considerados ligeiros, foram transportados para o hospital do Barreiro.

A fonte da GNR escusou-se a divulgar mais pormenores sobre o suspeito, incluindo a idade, indicando apenas ser um homem, que vai ser presente hoje ao Tribunal do Barreiro para aplicação de eventuais medidas de coação.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal disse à Lusa que o socorro mobilizou os bombeiros da Moita e a GNR, além de terem sido acionadas as viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER) de Setúbal e Almada.

O CDOS de Setúbal recebeu o alerta às 2h31.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.