A+ / A-

Sindicato de Jogadores acusa clube lituano de "tratamentos inaceitáveis"

14 set, 2018 - 16:31

No emblema que disputa a primeira divisão da Lituânia alinham seis portugueses. Em causa estão salários em atraso, sanções discilinares e contratos precários.
A+ / A-

O Sindicado de Jogadores denunciou várias situações "inaceitáveis" no FC Stumbras, emblema da Lituânia onde alinham seis portugueses, e aconselha jogadores a não assinarem pelo clube.

O organismo revela estar a par da situação dos jogadores, pressionados pela direção do clube, com salários em atraso e ameaçados de sanções disciplinares pela direção. No FC Strumbras alinham seis portugueses: Jardel Nazaré, André Almeida, Miguel Pires, Renato Gomes, António Belo e Tiago Luís.

O Sindicato de Jogadores e também a FIFPro dizem estar em contacto com os jogadores do clube, e revelam três situações negativas: "Muitos futebolistas recebem o salário mínimo da Lituânia, cerca de 350 euros por mês, que foram pagos com atraso pelo terceiro mês consecutivo".

"O clube tem contratos com esses jogadores, obrigando-os a pagar uma compensação de três milhões de euros para rescindir unilateralmente o seu contrato, enquanto o clube pode terminar com um período de aviso de 24 horas sem pagar qualquer indemnização", adicionou.

Alguns jogadores do clube denunciaram a situação, em anonimato, ao jornal americano New York Times, pelo que o emblema exige que os jogadores se identifiquem, sob ameaça de sanções disciplinares.

"Paralelamente, a FIFPro apela à Federação Lituana de Futebol e à UEFA que tomem medidas mais severas para evitar o tratamento inaceitável dos jogadores que participam nas suas competições", poder ainda ler-se no comunicado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.