A+ / A-

Uma em cada quatro horas de voluntariado é passada em organizações religiosas

14 set, 2018 - 10:00 • Agência Ecclesia

O estudo fala em mais de um milhão de voluntários em Portugal, 12% da população.
A+ / A-

Mais de 25% das horas de voluntariado em Portugal são passadas em organizações religiosas, segundo o inquérito publicado pelo Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE).

O estudo fala em mais de um milhão de voluntários em Portugal, 12% da população, dos quais mais de 100 mil voluntários se empenham em organizações religiosas, incluindo o trabalho de voluntariado missionário coordenado pela Fundação Fé e Cooperação (FEC).

Na União Europeia, a média de voluntários na população com mais de 15 anos é de 22,5%.

Outros dados apresentados pelo ‘Pew Research Center’, que promoveu uma sondagem em 15 países, entre abril e agosto de 2015, mostram que Portugal é a nação onde mais pessoas participam em atividades de organizações religiosas pelo menos uma hora por mês (27% dos inquiridos, face a 3% em atividades políticas).

Os portugueses são também os mais críticos, na sondagem, face ao “excesso de regras” da Igreja Católica (74% das respostas) e ao seu “apego ao dinheiro e ao poder” (66%), embora valorizem positivamente o seu papel na ajuda aos mais necessitados (67%) e no reforço dos laços comunitários (71%).

O CCEE afirma que “não existe nenhuma outra instituição na Europa que contribua de forma tão ampla para o voluntariado e promova formas de voluntariado tão diversificadas como a Igreja Católica”.

“As organizações religiosas representam o terceiro setor mais importante do voluntariado na Europa, depois do desporto e da educação. As crenças religiosas são essenciais para motivar o voluntariado”, assinalam os responsáveis dos episcopados católicos.

O relatório foi apresentado esta sexta-feira, em conferência de imprensa, durante os trabalhos da assembleia plenária do CCEE, acompanhados pela Ecclesia na cidade polaca de Poznan.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.