A+ / A-

“Está-se a fazer um assassinato ao Interior do país”

12 set, 2018 - 12:05 • Liliana Carona

População e União dos Sindicatos da Guarda manifestaram-se terça-feira em Fornos de Algodres contra o fecho dos CTT, previsto naquela localidade e também em Manteigas. As duas vilas podem perder o serviço de correios até ao final do ano.
A+ / A-

A polémica em volta do encerramento do tribunal de Fornos de Algodres, que acabaria por reabrir, ainda está bem viva na mente de todos os habitantes desta vila, que agora se veem a braços com uma nova tentativa de despojar serviços: os CTT.

“Queremos cá os Correios e tudo o que nos pertence, hospital tribunal, tudo”, diz, sem papas na língua, Etelvina Rebelo. Agora com 75 anos, trabalhou mais de 20 anos nos CTT de Fornos de Algodres. Não é por isso de estranhar que queira manter o serviço na sua terra.

Mas Etelvina não é a única a contestar o fecho dos CTT em Fornos de Algodres. A população junta-se ao coro das críticas. “Diz-se que a GNR também vai fechar, a Caixa Geral de Depósitos também. Daqui a pouco temos aqui uma quinta”, atira Graça Pina.

“São todos iguais, ninguém se lembra do Interior, só falam nisso na altura dos votos. Eu não vou votar, ninguém devia ir votar”, refere António Fidalgo.

Aos 79 anos, Manuel Freitas, questiona onde vai levantar a reforma. “Gouveia e Celorico, de táxi é muito caro para mim.”

O autarca local confirma ter sido informado do fecho dos CTT e foi-lhe apresentada uma proposta, que recusou. “Foi-me apresentada uma proposta formal por um dos administradores dos CTT onde constava a intenção de encerrar os CTT, mas de assegurar todos os serviços com a subcontratação de empresa privada, uma IPSS, ou junta de freguesia, mas continuo a não aceitar porque há aqui alguns valores associados a esse serviço público nomeadamente o sigilo e discrição”, justifica Manuel Fonseca.

Zulmiro Almeida, 70 anos, reformado dos Correios, representante do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, alerta que Fornos de Algodres não é a única localidade na lista dos CTT para fechar. “Ainda hoje me telefonaram a dizer que em Armamar pode fechar, Manteigas também está anunciado. Eu espero que as autarquias e o povo tenham punho forte para combater este assassinato do Interior do país, porque este é mesmo um assassinato que se está a fazer ao Interior do país”, lamenta o sindicalista.

A população de Fornos de Algodres garante que vai bater o pé contra o fecho dos Correios e deixa para já a promessa de uma manifestação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.