A+ / A-

Lisboa admite que lixo na cidade é "situação excecional" e anuncia contratações

11 set, 2018 - 23:57

Autarquia vai abrir uma "nova contratação para cantoneiros", "novos equipamentos e mais meios mecânicos para fazer face ao que é a pressão da higiene urbana".
A+ / A-

A Câmara de Lisboa admite que a acumulação de lixo nas ruas da cidade é uma "situação excecional", derivada de um "grande crescimento" do turismo, mas será ultrapassada com a contratação de mais trabalhadores.

"Não estamos satisfeitos com a situação e, por isso, preparámos um novo pacote que vai responder a essa situação excecional", disse esta terça-feira o vereador João Paulo Saraiva, responsável pelos pelouros dos Recursos Humanos e Finanças.

Esse novo pacote, anunciado em reunião da Assembleia Municipal de Lisboa (AML), vai incluir a abertura de uma "nova contratação para cantoneiros", "novos equipamentos e mais meios mecânicos para fazer face ao que é a pressão da higiene urbana".

A ideia da autarquia, liderada pelo socialista Fernando Medina, para uma cidade mais limpa passa, também, por "fazer novas campanhas de sensibilização".

O assunto foi levado à reunião de hoje por diversas forças políticas, na sequência das reportagens que têm sido publicadas nas últimas semanas e que dão conta da acumulação de lixo e falta de limpeza das ruas da capital.

Aos deputados, João Paulo Saraiva apontou que a causa para isto é evidente.

"Vivemos hoje uma situação excecional, porque a cidade está num momento de grande crescimento" do turismo", afirmou o vereador.

Não tendo abordado números, nem datas, o vereador disse aos jornalistas que estas medidas deverão ser contempladas no orçamento municipal para o próximo ano.

Perante as críticas, o autarca aproveitou para "recordar que o município de Lisboa, que durante anos teve dificuldade que todos conhecem", fez "investimentos até naquilo que são os seus serviços básicos, naquilo que são os meios básicos para a higiene urbana".

"Gostava de dizer que o município de Lisboa fez um investimento com paralelo difícil de encontrar nos últimos anos, em meios mecânicos e em equipamentos de proteção para os trabalhadores", apontou João Paulo Saraiva.

O vereador sublinhou ainda a contratação, nos últimos dois anos, de "350 novos cantoneiros, além dos que foram admitidos pelas juntas de freguesia".

O tema foi levantado pelo CDS-PP no período de declarações políticas, com a deputada Margarida Penedo a referir que as "queixas sobre o lixo são bastantes" e que "o que se vê é falta de limpeza".

Para a centrista, "a resposta do turismo também não convence", uma vez que "há zonas que não têm o problema do turismo e sentem isso com igualdade".

Para Inês Sousa Real, do PAN, "é inegável que Lisboa está hoje mais suja".

Por seu turno, o PS vincou que este é um "fenómeno nacional" e que não afeta apenas a capital.

Apontando não querer uma "guerra política", o PCP quis "trazer o assunto à ribalta" para encontrar soluções para o problema dos resíduos.

Neste sentido, os comunistas apresentaram uma recomendação intitulada "Por um serviço de higiene e limpeza urbana de qualidade na cidade de Lisboa", na qual pedem a contratação de mais efetivos.

O documento acabou por ser rejeitado com votos contra do PS, PSD e seis deputados independentes, a abstenção do CDS-PP, PPM e PAN, e votos favoráveis dos restantes.

Naquela que foi a reunião que marcou a 'rentrée' da AML, os deputados municipais aprovaram também um voto de pesar e fizeram um minuto de silêncio pela fadista Celeste Rodrigues, que faleceu no início de agosto, aos 95 anos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.