A+ / A-

Ofensiva na Síria pode causar maior catástrofe humanitária do século

10 set, 2018 - 22:47

ONU alerta para os riscos de uma ofensiva em larga escala contra Idlib, o último grande bastião rebelde na Síria.
A+ / A-

Mais de 30 mil pessoas foram obrigadas a deixar as suas casas no noroeste da Síria, em resultado dos últimos bombardeamentos das forças governamentais e dos seus aliados russos e iranianos.

Os números foram avançados esta segunda-feira pelo diretor do gabinete de coordenação de assuntos humanitários das Nações Unidas, Mark Lowcock.

Uma ofensiva em larga escala contra o último grande bastião rebelde na Síria pode apanhar 800 mil pessoas no meio dos combates.

Mark Lowcock alerta que este cenário pode provocar a maior catástrofe humanitária do século XXI.

As forças governamentais sírias, apoiadas pela Rússia e Irão, estão a preparar um assalto para reconquistar aos rebeldes a cidade de Idlib e as zonas circundantes.

Na semana passada, os aviões sírios e russos retomaram os bombardeamentos, depois de os presidentes da Turquia, Irão e a Rússia terem falhado um acordo de cessar-fogo.

O ministro turco da Defesa voltou, esta segunda-feira, a apelar às tréguas na região e ao fim dos bombardeamentos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Joaquim
    11 set, 2018 Palmela 21:19
    Até que enfim, noticias muito interessante, já vai quase uma decada decorrida de barbaridades e milhares de inocentes mortos e muitos outros obrigados a se refugiar em países mais seguros, já é tempo de por ordem no País e acabar com os varios grupos terroristas que desestabilizam a Siria