A+ / A-

​Benfica e Paulo Gonçalves acusados no caso “e-toupeira”

04 set, 2018 - 19:30

Ministério Público também deduziu acusação contra dois funcionários judiciais, um deles observador de arbitragem.
A+ / A-

Veja também:


O Ministério Público (MP) acusou dois funcionários judiciais, a SAD do Benfica e um seu colaborador - Paulo Gonçalves - de vários crimes, incluindo corrupção, favorecimento pessoal, peculato e falsidade informática, no caso "e-toupeira".

Segundo informação disponibilizada no site da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL), o MP "requereu o julgamento em tribunal coletivo por factos apurados no âmbito do inquérito referente aos acessos ao sistema CITIUS", conhecido por "e-toupeira".

"A acusação foi deduzida contra quatro arguidos: dois funcionários judiciais (um deles observador de arbitragem), um colaborador de sociedade anónima desportiva e uma pessoa coletiva (sociedade anónima desportiva)", adianta a PGDL.

Este processo envolve o assessor jurídico do Benfica, Paulo Gonçalves, que foi constituído arguido.

Em causa estão os crimes de corrupção passiva (e pena acessória de proibição do exercício de função), corrupção ativa e oferta ou recebimento indevido de vantagem (e na pena acessória relativa ao regime de responsabilidade penal por comportamentos suscetíveis de afetar a verdade, a lealdade e a correção da competição e do seu resultado na atividade desportiva)".

Favorecimento pessoal, violação do segredo de justiça, violação de segredo por funcionário, peculato, acesso indevido, violação do dever de sigilo e falsidade informática são os outros crimes imputados aos acusados.

Segundo a mesma nota, "ficou suficientemente indiciado que os arguidos com a qualidade de funcionários de justiça, pelo menos desde março de 2017, acederam a processos-crime pendentes no DIAP [Departamento de Investigação e Ação Penal] de Lisboa e do Porto e em outros tribunais, transmitindo as informações relevantes ao arguido colaborador da SAD, fazendo-o de acordo com a solicitação do mesmo e em benefício da mesma sociedade".

"Tais processos tinham por objeto investigações da área do futebol ou de pessoas relacionadas com este meio, ou de clubes adversários, seus administradores ou colaboradores", acrescenta a PGDL, salientando que as "pesquisas foram efetuadas fraudulentamente com a utilização de credenciais de terceiros, sem o seu conhecimento ou consentimento, por forma a obterem acessos encobertos, não detetáveis".

Acresce que "tais informações foram obtidas ilicitamente tendo como contrapartida benefícios indevidos para os funcionários e vantagens ilícitas no interesse da respetiva SAD".

"Tais condutas ocorreram, designadamente, durante as épocas desportivas 2016/2017 e 2017/2018", lê-se na mesma nota, sustentando que, "com estes comportamentos, os arguidos puseram em risco a integridade do sistema informático da justiça, a probidade das funções públicas, os interesses da verdade e da lealdade desportiva e a integridade das investigações criminais".

Um dos arguidos mantém-se em prisão preventiva, esclarece a PGDL.

Em 27 de agosto, a Procuradoria-Geral da República confirmou à Lusa ter constituído a SAD do Benfica como arguida no processo "e-toupeira".

No mesmo dia, o clube considerou esta decisão "ilegal e inconstitucional", anunciando a sua impugnação.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Xavier Santos
    05 set, 2018 Porto 15:37
    O Benfica quando lhe convém gosta de dizer que é o maior clube Português (e é verdade). Quando não lhe convém, tenta passar a ideia de que o caso E- toupeira é uma grande conspiração nacional contra o Benfica!!!! Como se o Benfica fosse um clube pequeno sem expressão e sem capacidade de influencia no país e como tal, estão a ser vitimas de uma grande conspiração. Isto em Portugal tem que se lhe diga, precisa- se de gente séria.
  • Manuel
    05 set, 2018 Moura 10:22
    Todos os criminosos dizem sempre que estão inocentes, raramente assumem o que fazem.
  • Cidadão
    05 set, 2018 Planeta mais que INDIGNADO 10:19
    E a resposta deles é "aburdo e injustificado"... Hein?!?!?!? deve estar a faltar o Oxigénio naqueles neurónios!!!
  • 05 set, 2018 00:55
    quando morrem levam o dinheiro no caixao!
  • JORGE DIAS
    04 set, 2018 Povo de Santa Iria 23:43
    BOM E AGORA OS MAIS ALTOS CARGOS DO PAÍS (Presidente da republica e da assembleia e 1º ministro) não fazem declarações? Os jornalistas não questionam este senhores sobre este assunto? Lembram-se de Alcochete?
  • Cidadão
    04 set, 2018 Planeta Terra 21:01
    Fosteis apanhados na malandragem e na prevaricação. Agora ides para o chilindró. Ah!!! Para onde ides, tereis companhia de mais uns quantos que juram a pés juntos estarem inocentes e ser tudo um grande mal entendido.