A+ / A-
Canoagem

Fernando Pimenta foi "muito melhor que o sonho" no Mundial, diz presidente da federação

27 ago, 2018 - 14:25

O canoísta português sagrou-se campeão mundial de K1 1.000 metros e bicampeão de K1 5.000. Foi o coroar de uma organização de "grande sucesso", considera Vítor Félix.
A+ / A-

O presidente da Federação Portuguesa de Canoagem (FPC), Vitor Félix, entrevistado por Bola Branca, traça um balanço muito positivo do Mundial de velocidade, que Portugal organizou pela primeira vez.

"A FPC está muito orgulhosa do trabalho que fez. A organização foi um grande sucesso. Destaque para as cinco finais em que Portugal esteve presente. O quarto lugar do João Ribeiro em K1 500, o oitavo lugar da Teresa Portela e da Joana Vasconcelos, o nono lugar dos K4 masculinos quer nos 500 metros quer nos 2000 metros, o sexto lugar do Hélder Silva. Foi o maior número de finais alcançadas num Campeonato do Mundo pela equipa portuguesa, portanto não poderia estar mais satisfeito com esta participação e com esta organização", assume o dirigente.

Naturalmente, não faltam elogios para o feito de Fernando Pimento, que se sagrou campeão do mundo em K1 1.000 e 5.000 metros: "Sabíamos que era possível o Fernando superar-se, porque ele de facto é um atleta de eleição que já entra e entrou para a galeria dos notáveis do desporto português. Por muito que se sonhe com este cenário, a realidade é muito melhor que o sonho e eu e toda a minha equipa estamos muito felizes".

Na distância de 5.000 metros, Pimenta é mesmo bicampeão do mundo. Vitor Félix aponta o ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, como o grande objetivo do canoísta português para o próximo biénio.

"O Fernando tem uma grande ambição, que é poder ser campeão olímpico e entrar nessa galeria de restritos que está apenas afeta ao atletismo, de campeões olímpicos. Ele vai lutar", garante o líder da FPC.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.