A+ / A-

Papa diz que os abusos são "chaga aberta" na Igreja

26 ago, 2018 - 11:14 • Aura Miguel

Na celebração do Angelus, o Papa saudou a Irlanda do Norte.
A+ / A-

O Papa Fracisco voltou, este domingo, a falar das vítimas de abusos sexuais na visita à Irlanda, para afirmar a sua comoção perante os relatos de quem viu a infância destruída pelos abusadores.

“Nenhum de nós pode deixar de se comover perante as histórias de menores que sofreram abusos, foram despojados da sua inocência, afastados das mães e abandonados à deformação de dolorosas recordações”, disse Francisco, durante a celebração do Angelus.

Francisco disse ainda que “esta chaga aberta”, referindo-se aos abusos, desafia todos “a sermos firmes e decididos na busca da verdade e da justiça.”

“Imploro o perdão do Senhor para estes pecados, para o escândalo e a traição sentidos por muitos na família de Deus”, reiterou o Papa.

O Papa pediu ainda “à nossa Bem-aventurada Mãe” que interceda pela cura de todas as pessoas que sofreram abusos de qualquer tipo e confirme cada membro da família cristã no decidido propósito de nunca mais permitir que se verifiquem tais situações.

Saudação à Irlanda do Norte

O Papa Francisco aproveitou ainda a ainda a ida a Knock para dirigir uma saudação “à amada população da Irlanda do Norte”. Nesta altura, Francisco foi aplaudido.

O Papa lamentou não ir à Irlanda do Norte, mas assegurou a sua estima e a proximidade na oração.

“Nossa Senhora que sustente todos os membros da família irlandesa para que perseverem, como irmãos e irmãs, na obra de reconciliação. Com gratidão pelos progressos ecuménicos e pelo significativo crescimento de amizade e colaboração entre as comunidades cristãs, rezo para que todos os discípulos de Cristo continuem com perseverança os esforços por fazer avançar o processo de paz e construir uma sociedade harmoniosa e justa para os filhos de hoje”, rematou.



“A jornalista da Renascença Aura Miguel acompanha o Papa Francisco na sua Viagem Apostólica à Irlanda com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.