A+ / A-

Sabia que há alimentos que podem ser vendidos depois do prazo?

17 ago, 2018 - 10:19

“Consumir até…” ou “consumir de preferência antes de…” é aquilo a que deve estar atento.
A+ / A-

Nem todos os alimentos cuja data de validade está ultrapassada têm de ser retirados das prateleiras dos supermercados. Tudo depende do que diz a embalagem e de se tratar de um produto muito perecível.

Segundo um esclarecimento emitido neste mês de agosto pela Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), existe uma diferença entre “data limite de consumo” e “data de durabilidade mínima”.

“Data limite de consumo” ou “consumir até…”

Quando as embalagens determinam uma data específica para um produto ser consumido, ele não pode ser vendido depois desse dia.

Este limite, explica a DGAV, é “aplicável aos produtos alimentares microbiologicamente muito perecíveis (carne fresca, peixe fresco, etc.) e que, por essa razão, são suscetíveis de, após um curto período, apresentar um perigo imediato para a saúde humana”.

A rotulagem refere, por isso, “consumir até…” e “é proibida a sua comercialização após terminar a data mencionada”.

“Data de durabilidade mínima” ou “consumir de preferência antes de…”

Nestes casos, é permitida a venda do produto. Este tipo de rotulagem é “aplicável aos produtos alimentares pouco perecíveis e que corresponde à data até à qual o operador económico responsável por este alimento considera que os géneros alimentícios conservam as suas propriedades específicas nas condições de conservação apropriadas”.

Enquadram-se neste grupo de alimentos as massas, o arroz, as conservas, a farinha, o açúcar, o azeite, os óleos, o feijão, entre outros.

Não havendo qualquer regulamentação legal “que estabeleça períodos de durabilidade mínima em função do tipo de género alimentício”, cabe ao próprio operador “estabelecer, com recurso a testes de estabilidade, uma data limite recomendada, até à qual se responsabiliza pela segurança do produto”, indica a mesma direção-geral.

A recomendação dada aos comerciantes é que, mantendo o produto à venda, seja dada informação ao consumidor sobre a data de validade.

O esclarecimento da DGAV surge na sequência do regulamento europeu (nº 1169/2011), do Parlamento Europeu e do Conselho.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • VICTOR MARQUES
    21 ago, 2018 Matosinhos 10:44
    Depois deste esclarecimento, presume-se que todos esses produtos são excelentes laxantes!!!...