O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Resolvido "apagão" a nível nacional na rede Multibanco

12 ago, 2018 - 22:38

Fonte da SIBS disse à Renascença que o problema na rede, que afectou terminais e caixas, foi de "ordem técnica".
A+ / A-

A rede Multibanco esteve fora de serviço em vários pontos de norte a sul de Portugal, este domingo à noite.

O problema começou cerca as 22h20, em vários pontos do país, e foi resolvido antes da meia-noite.

Em declarações à Renascença, fonte da SIBS - Sociedade Interbancária de Serviços, a empresa responsável pela rede, disse pelas 23h50 que o sistema já estava "operacional".

"Problemas de ordem técnica" estiveram na origem do "apagão" em várias zonas do país, explica a mesma fonte.

O problema a nível nacional na rede começou pelas 22h20 e afectou terminais, caixas Multibanco e o serviço MB Way, para dispositivos móveis.

Durante cerca de uma hora e meia, os clientes não conseguiram fazer operações nas máquinas ATM, como levantamentos ou pagamentos nas lojas.

A Renascença constatou que algumas zonas de Lisboa, Porto ou Marco de Canavezes a rede multibanco sofreu um "apagão".

Há relatos de pessoas que não puderam abastacer a viatura na bomba de gasolina, realizar outros pagamentos, fazer levantamentos de dinheiro nas caixas, consultas de saldo ou transferências.

[notícia atualizada às 00h04]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    12 ago, 2018 évora 23:12
    Os serviços básicos do Século XXI andam entregues a privados onde neles gastam o mínimo de recursos possíveis para gerarem o maior lucro anual . Vendem velocidades de internet astronómicas quando na realidade só se consegue depois obter nem metade de metade ... sistemas básicos obsoletos e a caírem de podre de idade e um dia o Estado ainda fica refém dos privados onde já se recursos alguns próprios tem que se ajoelhar e pedir : perdão , a genética que construa um Salazar novamente para meter mão em no pântano e na tanga de Portugal .