A+ / A-

Demissão do ministro da Saúde? Podem "tirar o cavalinho da chuva”, diz Costa

11 ago, 2018 - 11:19

Eventual saída de Adalberto Campos Fernandes não resolve os problemas no SNS, garante primeiro-ministro.
A+ / A-

António Costa coloca de lado uma hipótese de demissão do ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes. Para quem pensa que o ministro se vai demitir, “pode tirar o cavalinho da chuva”, disse o primeiro-ministro.

Numa entrevista ao semanário Expresso, o primeiro-ministro diz que uma eventual saída de Adalberto Campos Fernandes não resolve os problemas no Serviço Nacional de Saúde, que nos últimos tempos têm sido levados a público pelas demissões nos hospitais, devido à alegada falta de meios e recursos.

Primeiro, António Costa coloca em dúvida que os problemas que a comunicação social tem reportado existam, de facto. O primeiro-ministro lembra que “foi preciso o ministro Correia de Campos se demitir para acabar aquela curiosa epidemia dos partos nas auto-estradas que nunca mais ocorreram desde que o ministro se demitiu”.

No entanto, logo a seguir, acrescenta que a demissão de Adalberto Fernandes não vai fazer com que “os problemas se resolvam como por artes mágicas”.

“Já todos nós temos idade suficiente e experiência acumulada para sabermos que o setor da Saúde é um setor no qual com muita facilidade se generaliza e se torna como paradigma situações pontuais”, afirma o primeiro-ministro.

Costa surpreendido pelos "pecadilhos" de Robles

Entre os muitos assuntos abordados nesta entrevista de 10 páginas, Costa falou também do caso Ricardo Robles, o ex-vereador do Bloco de Esquerda na Câmara de Lisboa que pôs à venda um prédio em Alfama por 5,7 milhões de euros quando, ao mesmo tempo, era um dos maiores críticos da especulação. A polémica levou à demissão do vereador bloquista de Lisboa por causa de negócios imobiliários.

Costa diz-se "surpreendido" com a atitude do bloquista. “Nunca imaginei que quem emprega com tal virulência a moral política cometesse pecadilhos".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Guerreiro
    12 ago, 2018 Lisboa 11:44
    E o pecadilho da compra da casa em S. Bento para a filha, que depois o Costa vendeu com 100% de lucro (menos de 1 ano depois). Ou estaria o Costa a combater a desertificação de S. Bento como a Catarina o faz no Sabugal...
  • Americo
    11 ago, 2018 Leiria 16:29
    "..António Costa coloca em dúvida que os problemas que a comunicação social tem reportado existam, de facto..."SIC. Parafraseando um JORNALISTA independente; "...aquilo espreme-se e não sai dali pingo de semelhança com o que se convencionou chamar uma pessoa, cheia de defeitos e virtudes"... Comungo da expressão. É mau demais. Sem mais comentários.
  • Maria
    11 ago, 2018 Porto 13:21
    Se calhar é melhor tirar o cavalinho dos incêndios. Chuva não vejo por cá nenhuma… nunca mais há responsabilidade!