O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Nova Zelândia quer proibir sacos plásticos até julho de 2019

10 ago, 2018 - 06:38

Os neozelandeses usam centenas de milhões de sacos plásticos por ano, uma situação que o país quer inverter.
A+ / A-

A Nova Zelândia planeia proibir sacos plásticos descartáveis até julho de 2019, com o objetivo de proteger o meio ambiente nas suas zonas costeiras. A medida foi anunciada, esta sexta-feira, pela primeira-ministra Jacinda Ardern.

Os neozelandeses usam centenas de milhões de sacos plásticos por ano, uma situação que o país quer inverter, sublinhou a governante.

As duas principais cadeias de supermercados da Nova Zelândia já anunciaram os seus próprios planos para eliminar estes sacos até o final deste ano.

Vários países e estados introduziram proibições ou restrições à utilização de sacos plásticos descartáveis, incluindo França, Bélgica, China, Havai e Califórnia.

Na Austrália, uma grande cadeia de supermercados anunciou a intenção de passar a cobrar pela disponibilização dos sacos plásticos, mas acabou por recuar depois de ter sido confrontada com queixas dos clientes.

Nove coisas essenciais para conseguir viver sem fazer lixo
Nove coisas essenciais para conseguir viver sem fazer lixo
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.