O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Monchique. “Não há frentes ativas, há pontos quentes"

09 ago, 2018 - 20:22

O balanço foi feito por Patrícia Gaspar, segunda comandante nacional.
A+ / A-

O incêndio que deflagrou na sexta-feira em Monchique, no Algarve, está "a ceder" e "globalmente estabilizado", informa a segunda comandante operacional nacional da Proteção Civil.

Patrícia Gaspar diz que “não há frentes ativas, há pontos quentes”. Apesar disso, não pode dar o fogo como dominado.

As autoridades continuam atentas porque continua alto o risco de reacendimentos no perímetro de 100 quilómetros afetado pelas chamas.

Em conferência de imprensa, a responsável da Proteção Civil confirmou “39 feridos”, um em estado grave.

As populações mais afetadas já estão a regressar às suas casas.

O incêndio de Monchique deflagrou na sexta-feira passada e teve mais de mil operacionais no terreno.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.