O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Idosos são convidados especiais do festival de metal de Vagos

09 ago, 2018 - 14:02

Converge, Cradle of Filth e Enslaved são alguns dos nomes fortes do cartaz do Vagos Open Air. Utentes do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo vão assistir a alguns concertos.
A+ / A-

Veja também:


O festival de metal de Vagos arranca na sexta-feira e, até domingo, vai receber bandas como Cradle of Filth, Converge e Enslaved, mas também a visita de um grupo de utentes do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo.

O festival, que se dedica às tendências mais extremas da música, vai receber a visita de um "grupo de cinco idosos, utentes do Centro Comunitário da Gafanha do Carmo", que vão estar presentes "vestidos a rigor com roupas e aspeto 'metaleiro'", disse a instituição, em comunicado enviado à agência Lusa.

"Iremos assistir a concertos, visitar o recinto, conviver com festivaleiros e artistas a convite da organização que aceitou com muito agrado a nossa iniciativa", acrescentaram.

No primeiro dia do evento, na Quinta da Ega, o cartaz vai contar com os portugueses Impera, Booby Trap, Destroyers of All, Trinta e Um, Theriomorphic e Analepsy, para além de InSammer, Dust Bolt e Orphaned Land.

Na sexta-feira, o festival de Vagos recebe, entre outros, os brasileiros Ratos de Porão, os portugueses Serrabulho e Moonspell, antes dos cabeças de cartaz do dia: Converge e Cradle of Filth, estes últimos no âmbito da digressão de apresentação do disco "Cryptoriana -- The Seductiveness of Decay", lançado no ano passado.

Sábado vai contar com bandas como Simbiose, Holocausto Canibal, Bölzer, Enslaved, Sonata Artica e Kamelot, enquanto no domingo vai ser possível assistir aos concertos de Suicidal Tendencies, Ensiferium, Municipal Waste, Integrity, entre outros, incluindo os suíços Schammasch, acrescentados ao cartaz esta semana em substituição de Sinister.

No início de agosto, a organização do evento revelou, através do Facebook, que pela primeira na história do festival, que nasceu em 2016, depois da saída para Corroios do Vagos Open Air, alcançaram 15% de público estrangeiro.

"Um claro sinal de crescimento deste festival, que é feito por fãs de metal, para fãs de metal, com escassos patrocínios, mas muito esforço e entrega de uma equipa que não olha a meios para garantir uma experiência inigualável a esta família", acrescentou a organização.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.