O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Incêndios

Portimão aciona linha telefónica para gerir donativos e evitar excessos

09 ago, 2018 - 09:47

O concelho também foi atingido pelas chamas de Monchique e muitas pessoas tiveram de ser retiradas de casa. Ao pavilhão principal têm chegado inúmeros bens, nem todos necessários ou prioritários.
A+ / A-

Veja também:


A Câmara Municipal de Portimão está a utilizar o número municipal de Proteção Civil para a gestão de donativos, que desde o início do incêndio em Monchique chegam em grande quantidade aos bombeiros e locais onde pernoitam as pessoas afetadas.

A Linha "Proteção 24" (808 282 112) concentra toda a informação sobre voluntariado e donativos, funcionando como o canal que cidadãos e empresas deverão contactar para poderem prestar o seu contributo de forma útil e direcionado às reais necessidades de bens.

Centenas de voluntários estão a trabalhar sob a orientação do serviço municipal de proteção civil de Portimão para fornecer comida e bens necessários aos bombeiros dos incêndios de Monchique e Silves e às populações atingidas.

Em declarações à Renascença, a presidente da autarquia revelou que a linha do serviço está por estes dias dedicada ao apoio aos incêndios.

Isilda Gomes lembra o número de telefone gratuito e pede aos interessados em ajudar que, em primeiro lugar, usem esta linha 808 282 112 para saber onde se devem dirigir e o que é mais necessário.

“Solicitamos que, para qualquer comunicação, seja disponibilidade enquanto voluntário para colaborar nos nossos trabalhos, seja para oferecer bens, que comunique através da linha e que diga aquilo que quer trazer, e será devidamente encaminhada e enquadrada”.

Para já, não são necessários alimentos

Uma das tarefas dos voluntários é confecionar as refeições, além de dar apoio às pessoas desalojadas que estão no Portimão Arena. Isilda Gomes diz à Renascença que há centenas de pessoas envolvidas.

Os voluntários estão a ser enquadrados pelos técnicos da autarquia portimonense e com organização para garantir eficácia.

A presidente sublinha a generosidade mostrada mais uma vez pelos cidadãos e esclarece que, para já, não são necessários alimentos. Quando chegar a altura, os interessados em ajudar serão contactados.

Os hoteleiros da região vão ajudar muito para além do fornecimento de refeições. A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) apelou aos seus associados para doarem mobílias e outros bens às famílias afetadas pelos fogos. O apelo foi lançado pelo delegado da AHP no Algarve, João Soares.

Através do Programas HOSPES, a Associação de Hotelaria doou cerca de 6.500 bens para ajudar a mobilar casas que estão a ser construídas ou recuperadas nas zonas dos fogos do ano passado.

[notícia atualizada às 13h34]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.