A+ / A-

Funcionários judiciais do TIC de Lisboa fartos de trabalhar de borla

14 jul, 2018 - 02:29

Não recebem pelas horas de trabalho extra, transporte ou refeições quando é preciso assegurar audiências pela noite dentro ou ao fim de semana, como está a acontecer no caso dos Hells Angels.
A+ / A-

O Sindicato dos Funcionários Judiciais alerta para as "más condições de trabalho" dos oficiais de justiça do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça.

Numa altura em que ali decorre o processo Hells Angels, a estrutura sindical denuncia o que diz serem "tempos de trabalho sem períodos de descanso e remuneração de horas extraordinárias".

Fernando Jorge, presidente do sindicato, explica que o problema resulta do "excesso de diligências urgentes nos últimos dias".

“É uma situação sistemática dos últimos anos”, que foi evidenciada pelas detenções “em grande número” no caso Hells Angels e do ataque à Academia de Alcochete, sublinha.

“É um número elevado de detenções e há necessidade de prolongar os interrogatórios durante a noite e o fim de semana. Os funcionários que asseguram este serviço recebem exatamente o mesmo que os colegas que saíram às 17h00 de sexta e só regressam na segunda-feira”, explica Fernando Jorge.

“Não há o reconhecimento por este trabalho extraordinário, nem sequer em termos de refeições. E mais: se o interrogatório terminar às 3h00 ou 4h00 da manhã e as pessoas tiverem que regressar a casa de táxi, essa deslocação tem que ser paga pelo funcionário”, remata o dirigente do Sindicato dos Funcionários Judiciais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 14 jul, 2018 aldeia 12:28
    Só há dinheiro para os desvarios da Banca!........