A+ / A-
Ténis

Nova "maratona" coloca Anderson na final de Wimbledon

13 jul, 2018 - 20:29

John Isner, ao contrário do que sucedeu em 2010, perdeu uma partida que parecia interminável. Nadal ou Djokovic no caminho do sul-africano.
A+ / A-

O sul-africano Kevin Anderson apurou-se para a final do torneio de Wimbledon, ao derrotar o norte-americano John Isner, num encontro que mais pareceu uma maratona: mais de seis horas de troca de bolas.

Num embate que colocou frente a frente dois dos jogadores mais altos do circuito, Anderson, oitavo no "ranking" ATP e que nos quartos de final já tinha prolongado o duelo frente ao suíço Roger Federer, primeiro favorito, levou de vencida Isner (10º) por 7-6 (8-6), 6-7 (5-7), 6-7 (9-11), 6-4 e 26-24.

Este foi o segundo encontro de singulares mais longo na relva do "Grand Slam" londrino. O mais longo do torneio e do próprio circuito opôs o mesmo Isner ao francês Nicolas Mahut, em 2010 e durou 11 horas e cinco minutos, sendo o desfecho favorável a Isner por 6--4, 3--6, 6--7 (7--9), 7--6 (7--3) e 70--68, em jogo da primeira ronda.

Na final, Anderson vai defrontar o vencedor do encontro entre o espanhol Rafael Nadal, segundo da hierarquia, e o sérvio Novak Djokovic, 12º do mundo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.