O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

André André e o regresso a Guimarães. "O coração falou mais alto"

13 jul, 2018 - 15:40

Médio português explicou os motivos do regresso à cidade Berço e evitou o tema FC Porto.
A+ / A-

André André, novo reforço do Vitória de Guimarães, falou, em declarações à imprensa, sobre o regresso à cidade Berço e teceu poucos comentários sobre a saída do FC Porto.

Depois de três temporadas ao serviço dos dragões, André André regressou ao clube onde envergou a braçadeira de capitão. Em declarações à imprensa no estágio da equipa em Quiaios, o médio explicou a decisão que motivou o regresso: "Foi tudo pensado, em boa parte, com o coração. Regressar ao Vitória foi a decisão que tomei e nunca me arrependo de nada. Estou muito feliz por estar de novo no Vitória. O coração falou mais alto".

"Quero estar onde me querem muito, e o Vitória queria muito contar comigo, da mesma forma que eu quis voltar", referiu o português de 28 anos.

Sobre o FC Porto, André André diz que já faz parte do"passado", recusando grandes comentários sobre o clube onde se sagrou campeão nacional na temporada passada.

Questionado sobre os objetivos da equipa comandada por Luís Castro para esta temporada, André André não teve receios em estabelecer uma meta: "Queremos lutar pelos lugares europeus, e não é só por dizer, isso vai ser demonstrado em campo, nos jogos e nos treinos".

Em Guimarães, o médio fez três temporadas, onde somou 102 jogos, apontou 19 golos e conquistou uma Taça de Portugal. Em 2015/16, o internacional português transferiu-se para o FC Porto, onde somou 94 jogos. Esta temporada, André André perdeu espaço na equipa de Sérgio Conceição, e apenas realizou três partidas como titular no campeonato.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.