O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Estado da Nação. "Temos mais crescimento, melhor emprego e melhor igualdade"

13 jul, 2018 - 09:50

António Costa abriu o debate traçando o cenário de três anos de governação e dando um sinal de continuidade da "geringonça".
A+ / A-

Acompanhe o debate do Estado da Nação ao minuto no liveblog da Renascença



O primeiro-ministro garante que o país está melhor após três anos da governação. "Temos mais crescimento, melhor emprego e melhor igualdade", disse o chefe do Governo no discurso de abertura do Estado da Nação, no Parlamento.

António Costa passou os primeiros minutos da sua intervenção a enumerar os feitos do seu governo, dando como exemplo o recuo da a taxa de desemprego para 7,2% ou o crescimento da economia portuguesa a atingir os 2,7%.

O primeiro-ministro garantiu que os resultados não são fruto de “um acaso ou da conjuntura, foi porque houve mudação de política” e deu ainda um sinal de continuidade à atual solução política.

De acordo com o líder do executivo, a mudança política registada em Portugal, com o fim de um quadro de austeridade, "só foi possível porque se formou na Assembleia da República uma maioria que viabilizou o programa deste Governo e tem viabilizado a sua execução".

"Pela parte do Governo, prosseguiremos com determinação e confiança, no horizonte da legislatura", referiu, deixando em seguida um aviso ao salientar que "há ainda um caminho a percorrer".

"Queremos prosseguir este caminho sem recuos ou impasses. A estabilidade das políticas é crucial para a manutenção da confiança. A confiança é determinante para a continuidade do investimento. O investimento é essencial ao crescimento e à criação de emprego. E só com crescimento e emprego é possível aumentar o rendimento e consolidar de forma sustentada as finanças públicas", defendeu.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.