O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​PCP diz que acordo com PS será difícil se incluir política externa e europeia

12 jul, 2018 - 13:55

Eurodeputado João Ferreira lembra proximidade do PS ao PSD e CDS, em matéria de política externa.
A+ / A-

O PCP deixa implícito que será difícil um acordo com o PS sobre política externa e europeia. Em declarações à Renascença, o eurodeputado João Ferreira lembra a proximidade do PS ás posições do PSD e CDS.

João Ferreira lembra que a “a política alternativa que o PCP defende, patriótica e de esquerda, tem como eixos essenciais questões como a afirmação da independência e soberania nacionais, a rejeição da submissão do país a interesses contrários e a posições contrárias ao seu interesse, o controle público de setores estratégicos da economia, a valorização do trabalho e dos trabalhadores, a renegociação da dívida”.

“Tudo isto são aspetos que identificam esta política alternativa que o PCP propõe ao povo português e que o diferenciam de outras forças políticas, nomeadamente do PS que, neste conjunto de aspetos, tem uma conhecida e assumida convergência designadamente com o PSD e do CDS”, acrescenta.

O deputado comunista reage assim às declarações proferidas pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que, em entrevista à Renascença e jornal “Público”, defende que um próximo acordo entre o PS e os partidos à esquerda devem incluir questões de política externa e europeia.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Anónimo
    12 jul, 2018 15:10
    Ele tem razão. Mas não se pode esquecer a proximidade do PCP ao PSD e ao CDS em assuntos como a eutanásia e as touradas. Por isso voto BE.