A+ / A-

Nani já treina com a camisola do Sporting

12 jul, 2018 - 09:29

O extremo foi integrado nos trabalhos de pré-temporada dos leões, em Colovray, na Suíça. Nani assinou por duas temporadas. Reencontra Peseiro, treinador que o lançou na I Liga.
A+ / A-

Não é o primeiro treino da vida de Nani no Sporting, mas é o primeiro da sua terceira vida no clube leonino. Apresentado ontem à tarde, o extremo viajou logo a seguir para a Suíça e já está no relvado do centro de estágio de Colovray, em Nyon, na Suíça.

O internacional português concentra todas as atenções e desempenhou bem o papel de protagonista, liderando o grupo na corrida de aquecimento, após a palestra de José Peseiro.

O treinador reencontra o jogador que lançou na I Liga no dia 28 de agosto de 2005. Na altura contou com a irreverência da jovem promessa da formação do clube. Hoje conta com a experiência de um campeão europeu, vencedor da Liga dos Campeões, da Premier League e com o desejo de ser campeão pelo seu clube.

Regresso a casa

Luís da Cunha, Nani, regressa a Alvalade, aos 31 anos, para viver a sua terceira experiência como jogador do Sporting. Tem 113 jogos realizados pelo clube, número que terá oportunidade de superar, por larga margem, nos dois anos de contrato com que se vincula aos leões.

Esta é uma oportunidade que o jogador tem para relançar a carreira, tal como aconteceu na segunda passagem, em 2014/15, quando foi cedido pelo Manchester United, após uma época em que realizou, apenas, 13 jogos pelos ingleses.

O ponto de partida é o ponto de chegada

Nani deixou o Sporting em 2007, depois de duas temporadas na equipa principal, e juntou-se a Ronaldo, no Old Trafford. Foram sete anos a vestir a camisola do Manchester United. O fim aconteceu, precisamente, com o regresso ao início, a AlvaladeMarcou 12 golos, em 37 jogos pelo Sporting de Marco Silva e venceu a Taça de Portugal. O clube não o conseguiu segurar e Vítor Pereira seduziu-o para rumar ao Fenerbahçe.


O bom desempenho na Turquia - 12 jogos, em 47 jogos - valeram-lhe a transferência para o Valência. Fez 26 jogos, marcou cinco golos, em 2016/17, numa época turbulenta no clube espanhol. A chegada de Marcelino Toral, na temporada passada, ditou a sua saída.

Estreou-se em Itália, na Lázio, por empréstimo do Valência, mas a experiência não correu como o internacional português desejava. Não conseguiu convencer Simone Inzaghi a conceder-lhe estatuto de titular. Fez 26 jogos, 19 como suplente utilizado, e marcou três golos.


Regressou a Valência, mas não entrava nos planos do clube. Recebeu várias propostas, algumas mais vantajosas financeiramente, mas optou por voltar a casa. Com 112 internacionalizações por Portugal, o campeão europeu ficou fora do Mundial. Lutará agora para reconquistar o seu espaço nas escolhas de Fernando Santos.
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.