A+ / A-
​Demografia

População aumenta na UE mas recua em Portugal

10 jul, 2018 - 14:05

Portugal registou em 2017 a terceira menor taxa de natalidade bruta, 8,4 nascimentos por mil habitantes.
A+ / A-

A população na União Europeia aumentou em 2017, mas Portugal perdeu cerca de 18 mil pessoas, de acordo com as estimativas do Eurostat.

A população da UE aumentou em 1,1 milhões de pessoas (2,1 por mil habitantes) de 2017 para 2018, com nove Estados-membros, incluindo Portugal, a registarem recuos populacionais e outros 19 avanços demográficos, segundo o Eurostat.

Entre 1 de janeiro de 2017 e 1 de janeiro de 2018, a população da UE passou de 511 milhões para 512 milhões de pessoas.

O maior crescimento demográfico foi registado em Malta (32,9 por mil habitantes), seguindo-se o Luxemburgo (19), a Suécia (12,4) e a Irlanda (11,2).

No extremo oposto, as principais quebras observaram-se na Lituânia (-13,8 por mil habitantes), Croácia (-11,8), Letónia (-8,1), e Bulgária (-7,3).

Em Portugal, a população diminuiu de 10,3 milhões de pessoas em 2017 para 10,2 milhões em 2018, o que representa 2% do total demográfico do bloco comunitário, segundo o gabinete de estatísticas da UE.

Por outro lado, Portugal registou em 2017, a par com a Espanha, a terceira menor taxa de natalidade bruta (8,4 por mil habitantes), depois da Itália (7,6) e da Grécia (8,2).

As maiores taxas brutas de natalidade observaram-se na Irlanda (12,9 por mil habitantes), a Suécia (11,5), o Reino Unido e a França (11,4 cada).

Na UE, a taxa bruta de natalidade foi, em 2017, de 9,9 nascimentos por mil habitantes.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.