A+ / A-

Assim faz menos mal. As dicas da OMS para reuniões de trabalho mais saudáveis

10 jul, 2018 - 11:51

Estar de pé e com os braços esticados para cima numa reunião pode parecer esquisito, mas é uma das fórmulas do sucesso. No que toca a hábitos saudáveis, primeiro estranha-se, depois entranha-se.
A+ / A-

As reuniões de trabalho estão a dar cabo de nós. Demasiado tempo sentados e elevados níveis de stress têm tido impactos negativos na saúde de uma sociedade cada vez mais sedentária. É por isso que a Organização Mundial de Saúde (OMS) vem propor, no novo relatório sobre "planeamento de reuniões saudáveis e sustentáveis", dicas para tornar estes momentos do quotidiano laboral mais favoráveis à saúde.

Pausas para relaxamento ou exercício físico, frutas e vegetais da época, água em abundância, troca de cadeiras e até uns movimentos de kickboxing. Longe vão os tempos das reuniões em que imperava a formalidade das cadeiras dispostas frente a frente. O contacto entre colegas é recomendado no relatório da OMS.

A Organização Mundial de Saúde adverte que nem todas as reuniões requerem comida, mas sublinha que, em caso de necessidade, deve dar-se preferência a alimentos com gorduras insaturadas, como azeite, óleo de girassol, peixe, abacate e frutos secos. Evitar, portanto, alimentos como carne, manteiga, óleo de palma ou de côco e queijo e eliminar por completo os alimentos processados.

A instituição lembra ainda que “opções proteicas vegetais para os vegetarianos, tais como lentilhas, tofu, frutos secos, manteiga de amêndoa e feijão” devem ser incorporadas nos locais de trabalho.

Ainda sobre os melhores alimentos a consumir, a OMS sugere que se advirta as empresas ou pessoas que confeccionam a comida para reduzir a utilização de sal, de molho de soja e de caldo de peixe. Em detrimento desses temperos, devem ser privilegiadas as ervas, pimenta e substâncias ácidas, como o vinagre e o sumo de limão.

A fartura não é sinónimo de qualidade para a Organização Mundial de Saúde, que incentiva a redução das porções servidas, ao cortar os snacks em partes, para evitar os excessos e o desperdício. Servir com pratos descartáveis ou guardanapos, para limitar a quantidade de comida ingerida, é outra das indicações presentes no relatório.

A água deve ir sendo servida ao longo das reuniões, em modo simples ou com fruta laminada, como citrinos, menta fresca ou até gengibre, para acrescentar sabor.

Exercitar a mente e o corpo

As reuniões de trabalho podem ser momentos de grande ansiedade e a OMS acredita que a prática de exercício físico pode ajudar a aumentar os níveis de concentração e a reforçar o espírito de união nas empresas.

A organização criada em 1948 para melhorar a saúde global encoraja os patrões a explicarem aos trabalhadores que podem e devem movimentar-se nos espaços de reunião. Oferecer-lhes pulseiras de monitorização de atividade física para que tenham consciência do exercício que estão a fazer é também uma medida a pôr em prática, segundo a OMS, que aconselha cada pessoa a percorrer um mínimo de 10.000 passos.

Ter aulas de ioga, tai chi, dança ou alongamentos na agenda, antes ou depois das reuniões, ajudará a relaxar após ou no início do brainstorming. É também por isso que a OMS propõe que se troquem as pausas para comer por pausas para exercício, durante reuniões de trabalho, e que haja música a tocar durante esses intervalos.

Se as reuniões durarem menos de quatro horas, a Organização Mundial de Saúde recomenda a inclusão de pausas de três a cinco minutos, ao fim de cada hora, ou de cinco a dez minutos a cada duas horas.

Se a duração for superior a quatro horas, deverá ser cumprida uma pausa de 30 minutos a meio para uma prática física mais extensa, com alongamentos, caminhadas ou relaxamento.

A Organização Mundial de Saúde prevê, no conjunto de políticas desejáveis, que algumas reuniões possam ser realizadas de pé, se os participantes tiverem condições físicas para se manterem nessa posição, e que os trabalhadores mantenham os braços elevados e esticados durante 30 a 60 segundos, para melhorar a circulação sanguínea.

Um local de trabalho amigo do ambiente

Num ambiente de trabalho sustentável, o tabaco e o álcool não entram, segundo o relatório da OMS sobre o planeamento de reuniões saudáveis e sustentáveis.

Outra das sugestões é evitar impressões e gasto desnecessário de papel, optando por trabalhar com as versões digitais dos documentos sempre que possível.

Quanto à distribuição de comida, também há cuidados a ter - confirmar a quantidade de alimentos necessária com quem as refeições são confeccionadas, para não haver desperdícios e, se possível, redistribuir o excesso de comida.

As reuniões de trabalho devem realizar-se preferencialmente em locais acessíveis por transportes públicos e com luz natural, para evitar o gasto de eletricidade. A OMS também recomenda a utilização de copos reutilizáveis e a redução de material promocional.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.