A+ / A-

Costa vai mesmo a Angola até setembro

09 jul, 2018 - 19:44

"Vamos retomar uma relação que já é excelente", disse em Lisboa o ministro angolano das Relações Exteriores.
A+ / A-

A data ainda não ficou fechada, mas só falta acertar agendas para que o primeiro-ministro português, António Costa, concretize a esperada visita oficial a Angola.

O tema centrou atenções na conferência de imprensa conjunto dos ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países, que estiveram esta segunda-feira reunidos, em Lisboa, depois do encontro do ministro angolano com António Costa.

A data da visita de António Costa a Angola ainda não está completamente fechada, mas vai acontecer até ao final de setembro, disse o ministro português dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

“Estamos a comparar agendas e mantenho que o objetivo é que a visita se realize ainda este verão. Quanto à data específica, essa é uma questão meramente prática que será comunicado logo que estiver estabelecida, mas antes de o chefe de Estado de Angola e do chefe do Governo de Portugal partirem para a assembleia geral das Nações Unidas, em setembro, certamente que se terá realizado a visita do primeiro-ministro de Portugal a Angola”, declarou o chefe da diplomacia portuguesa.

Portugal e Angola garantem que as relações atuais entre os dois países são excelentes e ainda podem demorar.

Manuel Augusto, o ministro das Relações Exteriores, disse que afastado o “irritante” que existia entre os dois países, numa referência ao caso judicial que envolve o ex-vice-presidente Manuel Vicente

“Citando uma frase feliz do ministro Augusto Santos Silva, desaparecido o irritante, nós vamos retomar uma relação que já é excelente. Se ainda se pode melhorar o excelente, isso vai acontecer”, disse Manuel Augusto aos jornalistas.

O ministro anunciou que o processo físico relativo ao ex-vice-presidente Manuel Vicente, arguido em Portugal na Operação Fizz, chegou há poucos dias a Angola.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.