O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Mundial 2018

Rússia não usou doping. Foi "um simples amoníaco"

09 jul, 2018 - 18:35

Médico da seleção russa admite o uso da substância por parte dos jogadores russos antes dos jogos do Mundial 2018.
A+ / A-

O médico da seleção russa, Eduard Bezuglov, negou, esta segunda-feira, o uso de substâncias dopantes da equipa no Mundial 2018 mas admitiu a inalação, por parte dos jogadores, de “um simples” amoníaco.

"Trata-se de um simples amoníaco, com que se impregnam pedaços de algodão e depois se inalam. Isto é feito por milhares de desportistas para os estimular. Usa-se há décadas", afirmou Bezuglov, que se defende dizendo que se trata de uma substância usada frequentemente “não só no desporto, mas no dia a dia, quando se perde o conhecimento ou uma pessoa se sente fraca".

O médico até explicou, em declarações aos jornalistas, como se poderá ter acesso à substância.

"Pode ir a qualquer farmácia, comprar algodão e amoníaco. Não tem qualquer relação com doping", assegurou.

O caso foi abordado pela comunicação social alemã depois da vitória russa frente à Espanha nos oitavos-de-final e da derrota frente à Croácia nos quartos-de-final, com ambos os jogos a serem decididos nos penáltis.

O amoníaco não consta na lista de substâncias proibidas do regulamento antidopagem da FIFA e é reconhecido por melhorar tanto a circulação sanguínea como a capacidade respiratória.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.