A+ / A-

35 horas. Ainda não há dinheiro para pagar aos enfermeiros

09 jul, 2018 - 10:09

São dois mil profissionais que estão a ser integrados nos hospitais.
A+ / A-

O Governo ainda não transferiu as verbas necessárias para pagar aos enfermeiros que estão a ser contratados.

Para já, segundo o presidente da Associação dos Administradores Hospitalares, os novos enfermeiros ainda não estão todos colocados nos hospitais. “Na última semana, os hospitais usaram as bolsas de recrutamento para chamar os profissionais, que estão autorizados a contratar, para serem integrados.”

São dois mil profissionais que estão a ser integrados nos hospitais. Mas é um número considerado insuficiente para fazer face à redução de horário para as 35 horas semanais.

À Renascença, Alexandre Lourenço admite que se o Executivo não transferir dinheiro para pagar os novos salários, vão aumentar as dívidas. “Efetivamente, ainda não existe um reforço orçamental, mas estamos em crer que venha a acontecer, caso contrário terá um impacto sobre fornecedores”.

Enfermeiros, assistentes e técnicos de diagnóstico regressaram às 35 horas de trabalho semanais, em vez das 40 atuais, numa altura de férias e em que há greves marcadas por sindicatos às horas extraordinárias.

A Ordem dos Médicos, o Sindicato dos Enfermeiros e os administradores hospitalares alertaram para o facto de que a redução do horário sem novas contratações reduzia a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Carlos Neves
    10 jul, 2018 Loulé 11:12
    Não tinha acabado a austeridade? Não tínhamos um governo de esquerda patriótico e social? O Presidente da República tirando as selfies, os afectos e as cantorias Nada diz nem Nada Faz!! Beijocas e abraços para os todos os portugueses (as), exepto os que estão doentes ou precisem de recorrer aos serviços do SNS.
  • Anónimo
    09 jul, 2018 14:46
    Mas para satisfazer os desejos imperialistas do criminoso Trump já há dinheiro... Vergonha do meu país e vergonha do meu governo.
  • Alberto
    09 jul, 2018 Longe 11:50
    A sério??? E eu que pensava que tinha terminado a austeridade... Que parvo que sou.