O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Mundial 2018

Didier Deschamps. "Nas meias-finais com mestria mas não com jogo perfeito"

06 jul, 2018 - 18:34

Análise dos selecionadores de França e Uruguai à vitória sobre o Uruguai (0-2), nos quartos-de-final do campeonato do mundo.
A+ / A-

Didier Deschamps considera que a França garantiu um lugar nas meias-finais com justiça e "mestria", ao bater o Uruguai (0-2) mas admite que os "bleus" não realizaram um "jogo perfeito".

"Tivemos alguns erros, que felizmente não tiveram consequências. Mas podemos sempre jogar melhor. Não quero ser demasiado exigente, porque o Uruguai é uma grande equipa. É verdade que não tiveram uma grande oportunidade, claro que são perigosos nas bolas paradas, mas a verdade é que nunca nos sentimos realmente pressionados ao longo do encontro", afirmou o selecionador gaulês, em conferência de imprensa.

Na ronda de acesso à final do Mundial 2018, haverá duelo com Brasil ou Bélgica. Venha qualquer um, declara Deschamps.

"Não tenho preferências [entre Bélgica e Brasil]. Tenho-os visto desde o início da competição. Vamos ver quem nos calha. Para já, temos a certeza que estamos na meia-final", completou.

Tabarez pragmático sobre o fim do "sonho"

"Faltou o que faltou a qualquer equipa quando perde. Não jogámos tão bem como os nossos rivais. Foi por isso que perdemos. Fizemos um grande esforço físico nos primeiros 20 minutos, mas depois não conseguimos explorar os pontos fracos da França. Falámos disso no intervalo, não conseguimos resolvê-lo nos primeiros minutos da segunda parte e por isso fizemos as substituições, para ver se podíamos melhorar, mas não conseguimos. A França controlou bem a situação e depois do segundo golo era uma grande diferença entre as duas equipas. Jogaram melhor do que nós", afirmou Oscar Tabarez, selecionador do Uruguai, por seu turno.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.