A+ / A-

​OE2019. Objetivo de 1% para a Cultura não será atingido no próximo ano

06 jul, 2018 - 13:12

Ministro Luís Filipe Castro Mendes garante, no entanto, que haverá um reforço para o setor previsto no Orçamento.
A+ / A-

O ministro da Cultura, Luís Filipe Castro Mendes, admitiu esta sexta-feira em Macau que o objetivo de garantir que 1% do Orçamento do Estado para 2019 vai para a Cultura não será atingido nesta legislatura. Contudo, garantiu um reforço financeiro no setor já em 2019.

"Vamos aproximar-nos gradualmente, é o nosso objetivo e a nossa meta, mas não penso que no espaço desta legislatura, ou deste orçamento, cheguemos a 1% do Orçamento do Estado para a Cultura", disse. "Naturalmente haverá um reforço da Cultura no próximo Orçamento de Estado", acrescentou.

Luís Filipe Castro Mendes falava à margem da visita de dois dias em Macau, no âmbito do Fórum Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Questionado sobre o novo modelo de autonomia de gestão dos museus para 2019, anunciado em junho, o ministro da tutela rejeitou a possibilidade de ser criada uma entidade autónoma a nível financeiro, explicando que o caminho passará por uma independência administrativa.

"Vamos para o modelo de uma autonomia de gestão administrativa com responsabilização (...) através de contratos-programa, mas que não será uma autonomia financeira", acrescentou o ministro.

Castro Mendes afirmou que o "plano ainda está em elaboração" e "será muito brevemente apresentado", depois de consultas ao setor e outros ministérios, prometendo para breve "uma definição mais concreta" do modelo, que "não passa pela criação do instituto".

No mês passado, o responsável pela pasta da Cultura já afirmara que este regime de autonomia de gestão dos museus, monumentos, palácios e sítios arqueológicos "assenta na gestão por objetivos e consubstancia-se no cumprimento de metas quantificadas e mensuráveis que integrarão o contrato plurianual a celebrar entre a administração do património cultural e o diretor da unidade orgânica".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.