O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

Lançada a 36.ª edição do Carro do Ano em Portugal

03 jul, 2018 - 17:37 • José Carlos Silva

São concorrentes à edição de 2019 as marcas e modelos comercializados no país durante todo o ano corrente que se candidatem ao galardão até 1 de outubro.
A+ / A-

Começou esta terça-feira a 36.ª edição do Carro do Ano 2019 em Portugal, uma iniciativa do grupo Impresa para escolher o melhor dos melhores de entre todas as marcas e modelos comercializados em Portugal desde o início de 2018 que se candidatem ao galardão.

Em fevereiro do ano que vem, já se saberá quem ganhou. Antes disso, as marcas interessadas em concorrer podem fazê-lo até 1 de outubro.

O júri é composto por duas dezenas de jornalistas, entre eles um da Renascença/RFM.

Para além de terem a tarefa de testar e escolher o modelo que será distinguido com o título "Essilor Carro do Ano/Troféu Volante de Cristal 2018", os jurados vão igualmente distinguir a melhor versão automóvel em sete classes - citadino, familiar, executivo, desportivo (em que se incluem os descapotáveis), grandes SUVs, SUVs compactos e veículos ecológicos.

A lista de veículos candidatos será conhecida em outubro, depois de terminado o período de candidaturas.

Este ano, o público terá direito a votar, presencialmente, no seu modelo favorito, durante a exposição dos automóveis que deverá realizar-se em Lisboa.

O boletim de voto par aos membros do júri inclui dez áreas de avaliação: estética, construção/concepção, posto de condução, conforto estático, conforto dinâmico, comportamento e segurança, ecologia/ambiente, performances, ecologia/ambiente, consumo e preço.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.