O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-

​Via CTT. Contabilistas exigem clarificação e perdão da coima

03 jul, 2018 - 11:09

Serviço postal eletrónico é obrigatório desde 2012, mas não para todos os contribuintes.
A+ / A-

O presidente da Associação Nacional de Contabilistas pede uma clarificação e perdão urgentes para os contribuintes que estão a ser notificados para pagar uma coima por falta de adesão à Via CTT.

“Espero que haja uma diretriz que permita que todos os contribuintes possam não ser penalizados, porque estamos falar mesmo de muitos, e que isso seja claro”, defende Vítor Vicente.

O contabilista garante que as normas legais existentes “já permitem afastar as coimas quando os sujeitos passivos não prejudicaram a receita fiscal e revelaram um baixo grau de culpa”. Para isso é preciso “fazer um requerimento a cada repartição de finanças e depois é o critério de cada chefe de repartição saber se vai ou não, caso a caso, conceder esse perdão”.

“Isto não pode suceder, porque depois podemos vir a ter no país inteiro situações diversas e, até mesmo, dentro do bairro fiscal situações diversas”, sublinha.

A adesão a este serviço é obrigatória desde 2012, mas não para todos os contribuintes. Em declarações à Renascença, Vítor Vicente esclarece que “as pessoas individuais que não tenham atividade aberta não estão para já, aparentemente, abrangidas por isto”.

Vítor Vicente entende que as “empresas e também as associações, tudo o que seja entidades coletivas e também pelo menos, a nível do IRS, aqueles que estão no regime do IVA” é que são abrangidas por esta obrigatoriedade.

A Via CTT é uma caixa de correio eletrónica na qual os contribuintes recebem mensagens da Autoridade Tributária.

Segundo noticiou a SIC, algumas dezenas de milhares de contribuintes que pagam IVA, como trabalhadores independentes e empresas, estão a ser notificados para pagar coimas por não se terem inscrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.