O site da Renascença usa cookies. Ao prosseguir, concorda com o seu uso. Leia mais aqui.
A+ / A-
Mundial 2018

Importa-se de repetir? "VAR roçou perfeição no Mundial"

29 jun, 2018 - 20:11

Presidente do Comité de Arbitragem da FIFA faz balanço de "sucesso" da atuação do vídeoárbitro na fase de grupos.
A+ / A-

O presidente do Comité de Arbitragem da FIFA, Pierluigi Collina anunciou, esta sexta-feira, que o vídeoárbitro (VAR) teve uma prestação a "roçar a perfeição" na fase de grupos do Mundial 2018.

Numa conferência de imprensa realizada em Moscovo, que serviu de balanço da arbitragem nos jogos da primeira fase do campeonato do mundo, o líder do setor ao nível mundial revelou que foram analisados 335 lances e que "99,3 por cento das decisões foram corretas", ainda que em momento algum tenha explicado como é que a FIFA chegou a essa estatística.

"Antes da competição começar, muitos diziam que o VAR não era a solução ideal e que poderia ter um mau resultado. A verdade é que, na primeira fase, as estatísticas mostram que 99,3 por cento das decisões dos árbitros com ajuda do VAR foram acertadas. Mostra que o VAR esteve roçar a perfeição", afirmou, enaltecendo o "sucesso" do modelo.

Rejeitando analisar, em específico, qualquer decisão ou episódio específico que tenha ocorrido durante a primeira fase, Collina adiantou que o VAR analisou em média sete lances por encontro e, dos tais 335, apenas 17 tiveram que ser revistos.

"Em campo, dos 17 lances que foram revistos, 14 foram feitos pelo árbitro de campo com recurso ao monitor. O tempo utilizado rondou os 80 segundos, ou seja, menos que um festejo de um golo", salientou o antigo árbitro italiano, concluindo que o VAR "não tem atrasado os jogos" e que não se registou qualquer "escândalo".

Collina avançou ainda que a FIFA, como sinal de transparência, "não descarta a possibilidade de, no futuro, transmitir as comunicações do VAR em direto para o público", como acontece, por exemplo, no râguebi.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.