A+ / A-
Seleção Nacional

Engenheiro quer prolongar obra na Rússia

27 jun, 2018 - 13:51

Fernando Santos não define data de regresso a casa, como fez no Euro 2016, mas diz que quer ficar pela Rússia "mais algum tempo".
A+ / A-

Fernando Santos propôs-se a uma obra de grande dimensão na Rússia e, apesar de não se comprometer com datas, percebe-se que o "Engenheiro" pretende esticar ao máximo o prazo para a concluir.

No Campeonato da Europa ligou para casa, bem antes da final de Paris, e anunciou que só regressaria no dia após a final. Cumpriu com o compromisso, mas agora ninguém lhe arranca o "soundbite". No entanto, a muito custo, o selecionador nacional lá arranjou forma de manifestar a confiança que sente na sua equipa.

"Vocês estão sempre a pedir que eu vos diga uma data... Eu sei bem o que quero e o que vos posso dizer é que o meu neto vem cá ver o jogo. Vem cá já ver este, porque que eu quero explicar-lhe que quero ficar cá mais uns tempos", disse Fernando Santos, numa conversa informal com os jornalistas portugueses.

O selecionador não quer "dar um passo maior que a perna" e adota a estratégia de pensar jogo a jogo. "Acredito que domingo vou estar aqui e espero cá ficar", rematou, dando a entender que está confiante que Portugal vai ultrapassar o Uruguai, no sábado, em Sochi, no jogo dos oitavos-de-final do Campeonato do Mundo.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vermelhão
    27 jun, 2018 Évora 14:17
    Como Engenheiro não sei se é bom ou mau, mas como treinador é um equívoco, tal como o Jorge Jesus. Alguém lhes disse, que eram treinadores de futebol e que lhes pagavam muito bem por isso. Enganaram-nos, mas como é óbvio, eles gostam.